02/02/2020

Carta a um amigo em memórias da Seduc


Aqui com boas confabulações com meu amigo Washington Luiz de Azevedo Filho, um dos melhores e mais preparados técnicos que a Seduc do Maranhão tem.
Do quadro de servidores, Washington trabalha na Seduc desde finais da década de 70. Só para que se estabeleça uma parâmetro, quando eu entrei em 1979, já o encontrei lá como um servidor efetivo que se dedicava no trabalho como alguém que desejava ascender profissionalmente. E isto aconteceu por mérito...
Com Washington, eu e outros servidores aprendemos muito. Por essa razão e por ser uma das pessoas mais honestas que já trabalhei, devo-lhe agradecer por tudo que fez por mim sem nunca ter me dado nada materialmente. Com o tempo fizemos uma amizade forte, mesmo sem nos visitarmos frequentemente, mas sempre torci por ele e sua família como se fossem da minha família.
Mas também me lembro, quando eu não passava por uma situação boa, e você e o meu amigo Nivaldo Machado me chamaram para tomar conta de um setor! Bem ali no prédio onde funcionava a movelaria imperatriz.
Lembro-me também perfeitamente quando dividíamos o mesmo ‘bandeco’ e de quando varamos à noite para entregarmos a folha de pagamento da Seduc na Administração em tempo hábil.
Lembro-me de certa vez, quando eu ainda não era do quadro efetivo da Seduc, pois comecei na função de servente da Vicol, empresa que na época era prestadora de serviço na Seduc, e que na sala de pagamento brincaram comigo me indagando se eu poderia carregar a folha de pagamento? Pois ali ainda pueril, mas cheio de sonhos, cabia-me a tarefa de limpar todos os dias algumas salas do prédio central na Rua Osvaldo Cruz. E, assim, formei amizade com muitos servidores que me orientaram desde muito cedo.
Ah, lembro-me também quando você passou no vestibular, quando você casou com a sua esposa dona Marta, quando seus filhos nasceram, quando você colou grau e também quando assumiu pela primeira vez a chefia do setor de pagamento! Pode ter certeza que eu lembro de coisas tão importantes do mesmo modo que aprendi a Admirá-lo na forma de um cidadão íntegro.
É meu caro, o tempo passou, muitas coisas aconteceram e, nesse contexto, alguns de nós tomamos rumos diferentes, mas não deixamos de nos respeitar e considerar.
Um abraço e saiba que nunca lhe faltará o reconhecimento deste amigo,


Nenhum comentário:

Postar um comentário