30/11/2019

Essa sina de amar...


Porque há afinidade entre nós,
Ouço a tua voz
Sinto o teu abraço
Amenizo o meu cansado
Espero-te todos os dias
Sublevo-me no tempo
Guardo sementes em maturação
E sinto o amor no meu coração
Porque há amor entre nós
Levito-me a procura do teu céu
Pinto meu mundo da cor que quero
Guardo inspiração para te fazer poema
Amanheço feliz todos os dias
Anoiteço abastecido de amor
Sou fonte, ar e poesia
E assim: chamo-te, derramo-me de amor
E onde for, terei esse amor
E por que será que sempre estou a te procurar
Deve ser a razão de quem nasceu pra te amar

Nilson Ericeira

PENSAR – REFLETIR – PENSAR: A insubordinação em qualquer nível é a mais perfeita certeza de que continuamos ignorantes e que ainda não aprendemos nada, não sabendo inclusive nos relacionar com nossos semelhantes. (Nilson Ericeira)

Silêncio repartido


Dentro de mim me esvaziei
Não me encontro e se estou, distante
A minha última cena é me ver no espelho
Em contradições do que acredito
Mas me dividido em mim e meu coração sangra
Há um desnude moral
Em crenças que há muito fingem
E pouco há
Enquanto isso, vou tragando a minha dor
Remoendo meus nervos
Revivendo meus velhos versos
E tentando reabrir meus olhos
Pois me é vida que ofusca
Negar-me é coisa feia
Ou mesmo é a negação de mim mesmo
Meu inverso é o meu próprio verso
Mas tomara que eu um dia me escute
Assim, quem sabe ainda terei sobrevida

Nilson Ericeira

Quanto custa um ‘deus’!


O ‘deus’ de mentiras não custa nada, está à disposição nas prateleiras e nos argumentos persuasivos. Mas com Deus não se brinca, pois nem de longe é o que muitos pregam ser.
Tenho percebido que o preço de ‘deus’ no mercado da disputa ‘religiosa’ traz no bojo um pacote abominável, e um deles é a preferência por uma e outra pessoa, por esta e não por aquela religião. O que quebra, no meu ponto de vista, a própria ótica do que é Igreja no seu sentido literal e real, pois Deus não faz acepção de pessoas, mas por que logo os seus mensageiros estabelecem apartheid no ceio das igrejas pretendidas e aceitas por eles? É que há razões que a própria razão desconhece.
Neste sentido, há até verdadeiros tribunais que decretam a morte da cultura e da ideologia, desde que esta ou aquela ponham em xeque suas pretensões. Do mesmo modo que ser alienado passou a ser não concordar com a opinião do outro!
Parece que a salvação depende da denominação religiosa, do endereço da igreja e de quem ministra a palavra. Nem que para isto, não haja endereço, não haja pessoa contrita com Cristo e muito menos igreja...
É bom que se diga que, assim como não nos cabe a função de julgadores, do mesmo modo não é justo colocar todos num só pacote nas suas contrições e convicções. Acontece que o que vemos acaba passando como se todos fossem iguais. Mas não é assim. Há aqueles que fazem da vida uma entrega para Cristo e fazem as suas renúncias. Do outro modo, existem, e entendo não ser a maioria, dos que espertamente se utilizam da palavra sagrada para conquistar fama, poder político e patrimônio. Estes quando mais alaridos fizerem mais serão notados e seguidos...
Não custa por uma banca e colocar um ‘deus’ à disposição e abocanhar um pouco mais. Custa-nos entender que não se deveria brincar com um assunto tão sério! Desafiar o perigo enquanto carregam em si mesmos a ilusão disseminada pela palavra. Há até os que decoram trechos s da bíblia com intuito de se mostrarem espertos, inteligentes e conhecedores, provocando inequívocos impressionismos. Quando mais buscar na fonte a palavra mais certa, mais rebanhará ovelhas! Entretanto, na prática e relação com os demais, vislumbra sempre tirar proveito por meio da palavra.
Usar a Comunicação como ferramenta também é vitrine para os que, através de ‘deus’, querem subir aos céus da ganância e da desigualdade. Não há, entretanto, uma alienação, haja vista ser de pleno plano e consciência a exposição do ‘produto deus’ nas prateleiras e gôndolas. E quando esta conotação ganha ares de ‘política’ mais grave fica a situação, tendo em vista que, é através da política que crescemos ou decrescemos socialmente. Nesta acepção, tudo fica muito claro de quem deve ser o estado e para quem deve servir.
Em tempo, ressalva-se, e é bom que se faça por justiça divina, de que nem todos são iguais, pois ainda bem que há os que nos tempos da vida obedecem e seguem ao verdadeiro Deus, fazendo-se igrejas! Do mesmo modo que não há a pretensão de atingir ninguém em específico, mas que pelo menos sirva para alguma reflexão.

PENSAMENTO DO DIA: Ser justo, bom e correto implica um aceite interior e a respostas da consciência. (Nilson Ericeira)

29/11/2019

Nós e entre malhas


Eu sei que não terei respostas para tantas coisas
E nem tenho a pretensão de responder as coisas do mundo
Muito menos ainda tenho uma fórmula para erradicar saudade
Mas caço letras, teço fios da minha vida
Dou acordes ao meu coração
E sigo escutando os sons que me são audíveis
Procurando entender o mundo
Ainda assim não me deixo só sem caminhos...
Responderei a mim mesmo nos cenários de que me completo
Do meu céu e colorido de que traço
Nas malhas de uma vida por vezes incompreendida!
E entre os pontos, nós e malhas eu sigo
Lembrando de coisas tão especiais
De coisas que vivi e doutras que sonhei
Mas é de malhas em malha que eu dou tecido à minha vida
Ainda bem que escuto a tua voz em mim
E sinto o teu perfume em cheiro de gente
E vislumbro do teu beijo doce o ar nas minhas notas de amor
E Vou tecendo fios, equilibrando letras nas malhas de minha vida
Possa até ser que um dia, quem sabe, juntarei os fios, fecharei os nós
E navegar nestas malhas de vida que me inspiro em ti
Então velejo em ondas poéticas além do mar
Invado o céu dos meus limites e me ponho a declamar
Mas sempre tecendo fios de vida, em mar revolto que seja
Mas antes, dou-me até razão por ter coração e alma que por ti vagueiam
E assim te busco em mim por todo fio, por toda malha, até que,
De nó em nós: nós formemos
Assim, em malhas e nós eu sigo...

Nilson Ericeira

PENSAR – REFLETIR – PENSAR: Quando temos a oportunidade de ajudar as pessoas e não fazemos, não devemos por desculpas para a nossa omissão, resta-nos o aprendizado de que precisamos reconhecer do quanto ainda precisamos e necessitamos mudar. (Nilson Ericeira)

O imaginário


Hoje eu me peguei pensando em mim
E logo viajei no tempo
Lembrei distante
De alguém que tinha com amor,
Mas agora tão distante
E me pus velozmente nesta viagem em abstração
E logo reencontrei o amor da minha vida
Àquele riso de outrora que parecia não caber dentro de mim
E logo fui montando o meu cenário
É lógico que você no imaginário
Eu fiz da minha vida um jardim
Pus um céu bem colorido e estrelado
Com você sempre do meu lado a sorrir
E caminhei por verdes campos e jardins
Sempre a sentir a sua essência dentro de mim
E entre as nuvens fui cantando nossa canção
E logo senti o nosso amor no coração
Por alguns segundos pus-me num mundo imaginário
E nem percebi de no cenário
Fazer cercaduras ou molduras que contivesse para sempre
E quando acordei pude perceber que não passou do sonho
Onde eu me fiz poeta, escultor, pintor ou criador
Só para reviver um pouquinho o nosso amor
Agora vivo a refazer outros cenários, mas sempre com você no imaginário
Pois pode ser que um dia noutros cenários
Eu resgate o seu amor só para mim

Nilson Ericeira


PENSAMENTO DO DIA: Quando deixamos arraigar feridas de mágoas e dores não conseguimos ser felizes. Mas quando buscamos paz sem nos deixar dominar por sentimentos ruins, passamos a ter imenso prazer em viver e nos relacionar. Aí se constituem novas descobertas, antes obstruídas pelo ódio. (Nilson Ericeira)

28/11/2019

Amor de corpo e alma


É amor de corpo e a alma
E no meu sangue, pele e tudo que eu tiver
E contiver
É o meu amor de corpo e alma
O meu corpo vigem chega a dá vertigem
E até a dissimular
Assim, de tanta ânsia de te amar
É o meu ser querendo ar
A minha alma te chamando para vagar
Mas sei que já não sou tão moço para amar
Porém sei que tenho tanto amor para te dá
Então vem me amar de corpo e alma
E conquistar meu ser sem obstar
Sem impor condições
Pois o que eu trago no meu coração é muito mais que amor
É muito mais...
É amor do ser e da alma
É o amor dos meus sentidos
Um amor de corpo e alma
É muito mais que um querer
São os sinais do amor que eu trago
Deste ser tão belo e especial
Mas por favor, traz-me o teu amor andante,
Teu riso contagiante
E vem de corpo alma de lá para cá
Vem desabrochar no meu coração
E deixar essências no nosso jardim
Pois se for preciso viver mais para te esperar
Eu vou ficar...
Com o meu amor de corpo, alma e sentidos
E a todo instante, o meu coração pulsante a te pedir
Pois trago o meu amor de corpo e alma

Nilson Ericeira

A tinta do amor


Me ensina a dizer que te amo
Que meu coração te chama
Que meu ser te pede
E que a minha vida a ti pertence
Me ensina a seguir a tua luz
A te contemplar em poemas e letras
A te pintar em mim com a tinta do amor
E a te esculpir no meu coração
Pois quero te fazer em traços meus
E compor amor em versos teus
Me ensina a dizer que te amo
Que me coração de anuncia
Que no peito teu ser taquicardia
E que a minha pele te deseja
Assim talvez eu possa aprender
Aprender a ser o que o teu ser me ensina

Nilson Ericeira


O perdão do poeta


Perdoe-me Senhor,
por não compreender o mundo e nem aceitar o abraço de hipócritas.
E isso às vezes me dói!
Perdoe-me todos os dias por às vezes ser tão obscuro e não saber ler a coisas do mundo.
Perdoe-me por quantas vezes eu pecar,
mas me perdoe também por essas coisas de amar.
Perdoe-me por não ser tão agradável e nem sorrir quando no meu coração não cabe.
Perdoe-me no que puder, perdoe-me pela minha fraca fé.
Perdoe-me por me indignar com tantas coisas,
por enjoar tantos ditos e não ditos.
Perdoe-me por deixar escapar um anseio de amar.
Perdoe-me se não sei te buscar, mas não te busco em homens falhos, ídolos falantes e galantes.
Perdoe-me por não te procurar em prateleiras!
Busco-te em mim, mas sou vazio...
Perdoe-me por não ter feito mais quando podia e por ser tão distante.
Me perdoe por essa estética tão invisível.
Perdoe-me se antes, no meio ou depois.
Se errei em próclise, mesóclise e ênclise.
Perdoe-me com essa obstinação de construir igrejas sem paredes, sem pisos, sem especiarias...
Sem mamulengos!
Perdoe-me pela minha pobreza de espírito.
Eu preciso ter a certeza da tua palavra e amor no meu coração.
Perdoe-me por não ser justo e sábio para compreender os porquês desta vida.
Perdoe-me por certas certezas filosóficas.
Perdoe-me por em dúvida tantas coisas que não sei explicar.
Perdoe-me por tudo e também por não dá ouvidos a coisas tão especiais.
Me perdoe e perdoe os meus deuses de brinquedo e de ilusão!
Pois é por isso que sou um fraco.
Perdoe-me, por mesmo no ócio,
deixar sempre a tua verdade para depois.
Mas me dê a tua direção, mostre-me os caminhos,
ensine-me o ponto certo de amar e ser justo.
Senhor, dê-me o teu amor como alimento para a minha alma.
Faz-me um ser melhor,
pois eu quero viver plenamente.
Senhor, a minha consciência ainda me reclama tanto de mim,
ensine-me quero ser justo sempre.
Pois eu sei que ainda preciso aprender a tua escrita.
Senhor!
Dê-me a tua palavra, dá-me uma palavra, o verbo nas minhas relações.
Senhor, quero que seja o meu ar, água e a fonte da minha vida.

Nilson Ericeira



ARARI VIDA!

PENSAMENTO DO DIA: Relação sem amor tende à esterilidade e mecanização, posto que o coração precisa ser aquecido pelo bem-querer. É assim um desejo mútuo, uma relação consentida e sentida por todo o ser. (Nilson Ericeira)

27/11/2019

Eu vi Arari no poema incompleto

Eu vi a avenida quando era só matagal
Eu vi o sol nascer na Rua do Sol
Eu vi, andei na estrada velha
E eu ainda pesquei no O batuba
Eu vi mercadinho chegar
Eu vi Abel remar
E aquele cego tarrafear
Eu vi o “compadre”
Eu vi Berto,
Olha o limão!             
Eu vi Marlon e Arizona juntarem a moeda
Eu vi Contoniére sumir
Eu vi as ruas cheias de lama
Eu pulei por cima
Eu vi Lalau aboiar
Eu João Fufu gritar
Eu vi, eu entristeci
Quando eu também vi sua vida sumir

Nilson Ericeira 

Se tivesse eu te daria

Se uma semente, um pouquinho de água e unção.
O orvalho, a luz do sol o céu e as estrelas...
Se eu tivesse um pouquinho de ternura.
O riso, o canto, a lágrima e a tua voz em mim.
E se eu tivesse esse amor, minha doçura.
Se eu tivesse o mundo, te confesso que te daria.
Ah meu amor quanta alegria!
É assim esse amor com saudade ti.
E nem adianta esnobar de mim, o amor é assim.
Em tudo quer multiplicar e em outras quer dividir.
Só para amar!
Mas tivesse o fio condutor,
se eu tivesse um pouquinho de esperança.
Eu te daria completamente o meu amor.
E seu tivesse que esperar por todo o tempo, por todo o dia e por toda a vida,
mas  se o vento enfim.
Nada adiantaria sem te ver.
Se eu tive o dom de transformar, te colocaria em minha vida para amar...
Porém se faltasse sementes, eu renovaria em mim o amor que existe.
E outros canteiros, outras flores e frutos do nosso amor brotariam.

Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Ser íntegro não é apenas não ter o tecido podre, mas a biografia e moral sã e conduta ilibada em todos os pontos de nossa vida e relações consigo próprio e com os outros. E disto não restar dúvidas. (Nilson Ericeira)

26/11/2019

PENSAR – REFLETIR – PENSAR: Então é assim: na ‘política’ pode-se mentir, dissimular, omitir e injustiçar que se é perdoado! (Nilson Ericeira)

Do amor que eu guardei


Eu te dei o meu amor
E te esperei todos os dias
No amanhecer e no anoitecer eu renasci
E fiquei fazendo hora só para te ver passar
E assim o tempo passou, mas o amor guardei em mim
E olhei para as flores no jardim
Elas te referenciaram para mim
E deixaram essências tuas tão especiais que ainda hoje sinto em mim
Outro dia mesmo eu me pus a lembrar de ti
E te vi novamente em cenas do meu amor
Te coloquei mais uma vez dentro de mim
E pude outra vez sentir a essência daquelas flores do nosso jardim
É uma combinação de essências dentro do meu coração
Te ofereço então as minhas composições
Pois sei que o amor é um alimento
É vida que se renova, é planta que se cuida
Por isso vou continuar a irrigar o nosso amor em mim
Iguais os dias que se passam, as noites que se tecem
E assim poder viver e montar cenários do que é chama
Da mesma forma que antes, esperar nascer o dia
E sempre te receber dentro de mim

Nilson Ericeira

Tabela de pagamento dos servidores públicos do Estado do Maranhão - 2020


Janeiro – 03.02.2020
Fevereiro – 02.03.2020
Março – 02.04.2020
Abril – 04.05.2020
Maio – 03.06.2020
Junho – 03.07.2020
1ª parcela do 13º salário – 03.07.2020
Julho – 03.08.2020
Agosto – 04.09.2020
Setembro – 02.10.2020
Outubro – 04.11.2020
Novembro – 02.12.2020
2ª parcela do 13º salário – 16.12.2020
Dezembro – 04.01.2021

Ser estranho


Navego em mares que na terra inexistem.
Visito a galáxias em nada naturais.
Habito em corações que nem projetara.
Abro portas que nem vi e senti.
E existo em corações...
Ainda bem!
Caminho por caminhos que em mim, descaminhos.
Sinto uma solidão que não se explica e nem sei explicar.
Já nem faço tanto esforço nenhum para ser compreendido.
Gostei de me sentir perdido.
Gostei de mais de ser um louco.
Até rir de mim.
De se rirem de mim nas suas próprias imagens.
Mas ainda consigo contar estrelas no meio da noite.
Escolher meu astro-rei.
Sou mais um desses sem medidas. 
Mas acho que não propus coisas invisíveis ou impossíveis.
Ainda bem que não sou adivinho.
E nessa embriaguez, já até me desculpei com meus juízes.
Quando eu passei fingiram que não me viram.
Mas lá estavam todos a aplaudirem os hipócritas.
Não gosto de solidão, mas às vezes,
prefiro ficar sozinho a produzir asneiras.
É bem melhor você mesmo deglutir sua produção.
Peço a Deus que um dia eu me encontre e, então, descerei.
Descerei das nuvens e pisarei no céu.      
Ainda bem, cheguei.

Nilson Ericeira

Ser especial!

As duas metades da verdade


Antes de tecer completamente o que me proponho, afirmo que a verdade tem uma só parte, compostas e bem postas, umbilicalmente ligadas.

Por sua vez, neste tecido diário e de inúmeros conflitos que se formam a todo o momento, não faltam os que se especializam em conformar, conforme suas próprias conveniências. Para isto, deverá dividir a verdade, que se pretende única e irrestrita, em partes que, por vezes se dispersam completamente virando pó.
Dividir a verdade em pelo menos duas bandas, uma a que se quer preservar por interesse ou precaução e a verdade falseada, a que se quer tirar proveitos e outras intenções. Assim algumas pessoas tecem a vida, pensam que escapam aos olhos do Criador! Mas enquanto conseguem levar a verdade de querem que sejam, conforme as suas pretensões, as coisas vão a mil maravilhas. Porém, há um momento na vida em que os efeitos da hipocrisia vão minando e apodrecendo e a banda podre e se deteriora, pois não se sustenta em si mesma.
Mas enquanto perdurar o falseamento recheado de persuasão, permanecerá a ‘verdade’ de que propõe o hospedeiro.
É bom que diga que a verdade não relativiza, não tergiversa e não há nela contradição, pois se constrói de forma única e acabada.

PENSAMENTO DO DIA: Há pessoas que nos encantam e nos conquistam com sua forma especial e simples de ser, por vezes nos ajudam sem nem perceber. Então, nada mais significante que nos permitir amar e ser amado. (Nilson Ericeira)

25/11/2019

PENSAR – REFLETIR – PENSAR: A que preço se enlata, embala, transporta e comercializam inverdades! Os mentores da falsa imagem, da falsa palavra e da persuasão mesquinha não têm consciência e sentimentos e se amesquinham e apequenam tão quanto o resultado de suas obras. (Nilson Ericeira)

As falas...


Hoje me invadir.
Procurei explicações.
Explicações não tenho.
Deus me fez...
Me fez bom.
Estou defeituoso, sobressalente passo de mim.
Cair no mundo e não volto mais ao começo.
Só em devaneios, sentidos, frustrações, pecados...
Viajo em mim, às vezes encontro um mundo distante.
E sou andarilho.
Encontro-me amante do bem.
Bem como único sentido da vida.
Sei que existem pessoas tão más.
Que pena não se enxergam.
Obstruem passagens do amor.
Que bom que meus mundos não se esgotam.
É fonte...
Continuo procurando explicações.
Deus me fez.
Seguro-me em ações que abraçam.
Encontro Deus em mim.
A humanidade silencia injustiças.
Outros hipócritas.
Vestem-se do mal, arrogantes.
Deus me fez.
É luz.
Esse sentido não fui eu quem fez.
Me pariram.
Deus me fez e essa mulher é flor.
Agora sigo escrevendo as falas do mundo.
Que eu sei que foi Deus quem fez.

Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Existem coisas que não devemos aceitar nem darmos tempo para a refutação a tais desígnios, pois quando pensarmos em reagir já pode não haver mais solução. E o que é muito pior: as consequências da inação podem provocar feridas incuráveis e por toda vida. (Nilson Ericeira)

24/11/2019

A tinta do amor

Me ensina a dizer que te amo
Que meu coração te chama
Que meu ser te pede
E que a minha vida a ti pertence
Me ensina a seguir a tua luz
A te contemplar em poemas e letras
A te pintar em mim com a tinta do amor
E a te esculpir no meu coração
Pois quero te fazer em traços meus
E compor amor em versos teus
Me ensina a dizer que te amo
Que meu coração te anuncia
Que no peito teu ser taquicardia
E que a minha pele te deseja
Assim talvez eu possa aprender
Aprender a ser o que o teu ser me ensina

Nilson Ericeira

Desumano mundo mudo


O silêncio e omissão dos Poderes
Poderia ser melhor
Pois quando a dor do outro não te incomoda
Há a falência do homem humano
E quando não compreendemos os nossos papeis
É porque não aprendemos a ler o mundo
Não damos conta de nossa vida
Passamos a ser massa
E somos tangidos pelo tempo
E se não escutas o meu gemido
Perceberás que em ti o mundo inaudível
A vida é incolor
E os seres não te temperam
Quando a miséria alheia te é indiferente
Pois te falta ser gente
E gente enxerga, sente, percebe e vive
Pois o que nos consome não é a nossa própria dor
Mas a dor alheia, a que podemos amenizá-la
E se te alimentas do mal, não terás alívio
Então seremos reflexos uns dos outros
Tudo será sempre igual e proporcional ao que plantamos

Nilson Ericeira



PENSAR – REFLETIR – PENSAR: O que será que apresentarão os pretensos candidatos a prefeitos dos municípios e os da capital para a saúde pública municipal, pois o modelo que hora vigora é sentença de morte! (Nilson Ericeira)

Auto-psicografia III

Mover membros
Gesticular, engatinhar
Andar, seguir, correr...
Cair e levantar, sozinho ou com ajudas
Ou ficar vendo o tempo passar
Escutando o som do tempo
Sentindo o vento levar
O sol tocar, a sombra esconder, a chuva molhar...
E nem se perceber que é gente
Gente que sente, ressente, consente, ciente...
Que é de pele e osso
Tem sangue, carne e arde
Que grita, que berra, que some...
Que geme e que dorme
Que morre e que vive
Se vai...
Esvai-se
Nem parece, mas é humano
Têm manos
Tem soluços, choros e lágrimas
Esconde-se
Mas ainda assim, resite

Nilson Ericeira




PENSAMENTO DO DIA: Resignar é muito mais que sofrer com paciência e saber maturar sentimentos, mas sobremaneira,compreender-se nos propósitos de Deus. E isto implica renovação de forças. (Nilson Ericeira)

23/11/2019

PENSAR – REFLETIR – PENSAR: Sabemos pouco sobre as leis e muito menos ainda sabemos interpretá-las, mas ainda assim queremos a qualquer custo que os resultados sejam sempre conforme o nosso desejo e interesse. Isto tem nos feito ‘eméritos’ julgadores. O justo e correto é sempre o que nos convém, mesmo que para uns casos sim e para outros não. (Nilson Ericeira)

Auto-psicografia II


Tempo sem respostas
Sem hálito e ar
Tempo sem tempo
Tempo sem palavras
Soluços...
Choros consumidos
Amor!
Silêncio sem sentido
Vida sem vida
Ávida por sinais de vida
Perguntas ocultas
Respostas ‘introspectivas’
Mundo aparente
Soberba doce voz de aparências
Doce fel
Pobre céu
Autofagia em altas doses
Peleja de vida!
Oh nostalgia
Quem me dera ressuscitar o eu de outrora
Fingir é bem melhor que viver
Ainda que esse tempo me devore
Um dia serei a minha própria face
Ainda mais o que minhas letras não dizem
Pois sou meu próprio cúmplice
Sou o cálice e o vinho
O sangue e a ferida
E que espero e não se consumará
A incerteza e a negação
Uma contradição
É o que não se espia

Nilson Ericeira



Gente de casa ‘na lente do poeta’




Esta é uma das formas que encontrei para manter viva a história e a memória do saudoso poeta Paulo César Ericeira de Sousa (meu irmão), ao tempo em que posto imagens inéditas do acervo ‘Na lente do poeta’, (de PC Ericeira) e Usina de ideias (de Nilson Ericeira).

Neste sentido, sempre postarei fotos e textos de da autoria de PC Ericeira, bem como imagens e vídeos de um acervo de valor imensurável. Assim, penso que estarei contribuindo de alguma forma com gentes e coisas da minha terra, como bem descreve nosso escritor José Fernandes (Zé de todos nós).

Mas sempre com o intuito de fazer o melhor por Arari e sua gente que são motivos de inspiração diária deste editor.

Caso queira ver mais imagens ler alguns textos e, de alguma forma, ver-se representado em nossos escritos e imagens, acesse o Blog do Jornalista Nilson Ericeira – Usina de Ideias.  





























PENSAMENTO DO DIA: Agradecer sempre mesmo que tenhamos dificuldades, pois somos dádivas de Deus. Não devemos consumir o nosso tempo com intrigas, coisas fúteis, má querências e tolices. (Nilson Ericeira)

22/11/2019

A educação sem lição!


As boas práticas da educação quebram barreira e paradigmas fazendo com que caminhemos juntos.A educação antes de ser uma Política Pública é uma matriz de vida em sociedade, pois derivante que é do tecido social. Não há educação quando negamos o que está estabelecido na Constituição.
Veja que a prática dialética que a garantiu não deverá morrer na letra ou na arbitrariedade ou ignorância de quem quer que seja...
Porém é bom que se diga que não há educação sem que haja boas lições, pois em todo o relacionamento humano é imprescindível que ela se faça presente. Acontece que para que se tenha algum conhecimento sobre este tema, de tão ‘multifacetado’ que é, torna-se imperioso que, além de nos debruçarmos para entendê-la nos seus vários contextos, também é imprescindível que levemos em consideração um fator que deve ser nato: a sensibilidade. Pois ninguém consegue avançar no plano da educação em qualquer sentido, sem que tenha sensibilidade. Logo se observa que, com o passar do tempo, o castelo que se construía se transforma em areia solta!
Aqui a oferta, a procura, a quantidade e a qualidade vão além das intencionalidades...
A educação também se faz em casa, mas principalmente no ambiente escolar, pois lá há os insumos que juntam a outros tornando o ser humano capaz para a convivência e para a vida. Não é à toa que os sons produzidos na ambiência da escola nos acompanham por toda a vida! Pois se trata de uma estrutura orgânica cuja ambiência humana faz a diferença.
É bom que escutemos as vozes uns dos outros nos sons da ambiência escolar. Veja que os sons do bom dia! Boa tarde! E boa noite! Soam completamente diferentes, pois encontram ressonância em nossos corações e dão sustentação ao nosso ser, dimensionando nossa alma. Coisa sentida não somente por poeta, mas por todos nós.
Na tarefa de ensinar e aprender, de ensinar e desaprender, recomeçar, refazer, tecer e caminhar, não há apenas uma lição a ser tirada dentro de um contexto de ludicidade, mas lições de vida as quais se incorporam ao nosso ser. As boas práticas da educação quebram barreira e paradigmas fazendo com que caminhemos juntos.
Quem de nós não guarda com especial carinho determinados momentos vividos em determinadas épocas de nossas vidas em que éramos colegiais! Portanto, não há educação sem que possamos nos transformar em pessoas melhores.
Assim, precisamos ouvir as aulas que nos são dadas todos os dias, nas várias instâncias que nos são oportunizadas, e quando não, fazermos de nossas reflexões aulas e lições que podemos nos dá a nós próprios por toda vida.

O meu tempo em compasso


Meu tempo passado, presente e futuro sou eu quem faço
Mas deixa rugas em mim
Eu sou um cara lisa que o tempo me fez
E assim sigo nos caminhos na minha nudez
E olho para mim e não mais me vejo em altivez
E ando em caminhos, sigo estradas...
Pois o tempo me jogou no mundo e eu cair nele
Tornei-me forte e fraco, mas ainda sinto dores
Olho para o tempo de outrora e me vejo menino
Corro para ver se ainda dá tempo de ser o mesmo
Sei que o tempo me escapa velozmente
Aos poucos eu já sinto o peso da vida
Carrego o meu fardo sem reclamar
Arrasto a minha cruz para lugar nenhum
Confiro os meus passos e me perco olhando para o tempo
Sinto medo dos homens e suas ideologias
Pois o mal de odiar mata mais que doença orgânica
Que a política é apolítica, díspare, destoante, asfixiante
A vida e o prazer de matar
O paradoxo da justiça é injustiças
Onde o sangue corre fora das veias...
Pobres de nós que nos desconhecemos no húmus humano
Para ser bem sincero, prefiro não ser normal
Eu peço a Deus todos os dias que esse ódio não me intoxique
Pois eu quero segurar o tempo só para não vê-lo passar
Vou me vestir de mim e o meu amor esperar para te amar
Serei teu travesseiro e cobertor
Dar-te-ei a minha vida e tudo que for
O meu amor!
Mas eu sei que é preciso correr para poder segurar
O tempo que foi, o que vem e o que estar
Pois tudo que há em mim foi feito para amar

Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Ser mais que os outros é uma postura de extrema ignorância, de pobreza de espírito e desnude ético, pessoal e moral. Em nada isto se combina com um ser íntegro. (Nilson Ericeira)

'Arariensidade' - Arari-en-cidade!

De cujo amor nos alimentamos
De cuja luz nos alumiamos
Da lama que enlameamos
E em cujo braços nos abraçamos
Enlaçamos...
Arari é cidade
Araiensidade!
Arari de cuja vida nos revitalizamos
Arari de cujas sementes semeamos
De cujos frutos replantamos
Arari em cujos sonhos nos realizamos
Ara a cidade
Ara em terras tuas
Pois te vejo em cujos olhos nos enxergamos
Em cujo amor nos contemplamos
De cujo eco nos reverberamos
De cuja cor nos tingimos
De cujas almas nos encontramos
De cujo céu compomos
Ara ali, pois do amor nos nutrimos
Dos frutos deles repartimos
Ah, há Arari em nós
Pois eu ararizei em mim
Deleitei-me de amor por inteiro
De cujo amor virou ansiedade
E de cuja pátria me vestir
És tu Arari!

Nilson Ericeira

21/11/2019

Arari em memória I

Um ser servidor


Ser um servo antes ser um vassalo
Ser de pele sem despir-se do corpo
Ser de alma sem aventurar o espírito
Ser de luz sem se agachar em trevas
Ser livre sem se amordaçar a tiranos
Ser humano sem se amostrar em aparências
Ser convertido sem propagações desnecessárias
Ser de Deus sem vender a Palavra
Ser de carne e osso sem ser um estéril
Ser face sem ser máscaras
Ser grato sem bajulações
Ser um líder sem experimentar tolices
Ser do amor sem aparentar o que for
Ser a letra, mas antes ser a escrita
Ser a liberdade sem ser vigiado
Ser o céu sem que conheça doutro espaço
Ser a salvação, o amor e a unção
Ser de Deus sem terceirizar as mensagens
Ser a igreja sem vitrines e prateleiras
Mas sempre ser o amor em virtudes

Nilson Ericeira

Gritaria


O mundo corre, as pessoas correm com ele
O mundo sofre imundos homens indiferentes
Pobre sina dos sem assistência
Pobre dos que pagam impostos
De má sorte ou mesmo sem ela
Definham a espera do que não vêm
O que será que lhes convêm
Viver sem sorte, à deriva
Ou parecer navegar em águas tranquilas!
Absortos ao tempo, aos léus,
há léguas da dignidade que já não se espera
Já nem sei o que é melhor, se viver sem sorte ou esperar à míngua?
O que posso fazer é rir de mim mesmo
Pois me enquadro nas duas sinas
Sou objeto do ócio
E regresso ao tempo de defecções
Mas se me aprofundar em ser tão emblemático
Serei estorvo numa sociedade esquálida
Mas se eu me enxergar no meu próprio plano
Senão por engano, serei um judas moderno
Ao ponto de morder meus lábios
Ceifar os dentes, antes de me queixar de minhas próprias invencionices
E se eu sou eu hoje, objetos de que eu paro serão filhotes insanos
Porém antes que eu me estranhe comigo mesmo
Retorno a minha matriz tão deformada
Cheia de defeitos ao ponto de protestar tantas coisas
Mas não sabe qual o caminho da perfeição
Sem pelo menos saber se isso existe
Ou se é apenas uma invenção hipócrita

Nilson Ericeira

PENSAR – REFLETIR – PENSAR: Quem é incapaz de refletir sobre a sua própria prática é incapaz também de ensinar algo a alguém. (Nilson Ericeira)

Minha vida simples


Quero ser simples
Como voo despretensioso
Igual a água que desce para o mar
A pessoa que espera para amar
A barriga que guarda a sua cria
O beiral a gotejar
O silêncio da noite que não tem pressa para o dia chegar
Da mesma forma que rasga no peito de amor novo a lubrificar
Ou pássaro a se molhar
Andorinha a sobrevoar...
E o céu no infinito que não sabe onde vai dar
O horizonte até onde a vista alcançar
Fruto verde que quer maturar
Folha que rola sem pressa para estrumar
Raiz fincada no peito que pede para amar
Oceano que mais água quer derramar
Amor a se contemplar
Um pedaço de lua ou mesmo ela inteira a admirar
Estrelas trocando de posições sem ceder seus lugares
O que eu quero é ser simples e ter sempre alguém para amar
Sem premeditar que logo esse sorriso vai me conquistar
Com expectativas de novas flores no lugar onde estiver
De ver sol nascendo, vivendo e se indo...
Sem despedidas e sem pressa para um novo dia voltar
Que lindo!
No ocaso de qualquer lugar...
Ser simples para sentir o cheiro do meu lugar
Tecendo fio a fio a poesia de quem te quer amar
Palavras que nascem no coração que pretendem se arrumar
Olhar para o céu todos os dias e festejar
Feito bicho no cio que quer se apegar
E seguir a vida sem ódio, sem medo e sem preconceitos
Mas sempre encontrando no ser um irmão para abraçar
É esse o calor que preciso para me confortar

Nilson Ericeira




PENSAMENTO DO DIA: Há pessoas que de tão especiais em nossas vidas, estão presentes em todas as nossas conquistas, mas também nas caídas e recaídas, começos e recomeços, mas sempre segurando as nossas mãos, sem deixar de incentivar, acreditar e amar. É tudo que precisamos para seguir... (Nilson Ericeira)

20/11/2019

Em tudo que eu fizer

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha
Eu sei eu vou te amar
Em tudo que eu dizer
Em tudo que eu puder
Em tudo que houver
No que o nosso amor se dispuser
Em todos os momentos meus
Eu sei que vou te amar
Ao amanhecer o dia
Ao anoitecer
Em todo o entardecer
Naquela luz do dia
Naquela chuvinha fina
No sol compenetrante
Em tudo que se for
Em tudo que chegar
Com todo o meu amor
Em todos os momentos meus
E por toda a minha vida eu vou te amar

Nilson Ericeira