20/11/2018

Porque gosto de escrever: O amor é o óleo da vida!


A partir de nós próprios podemos mudar para melhor. A nossa autorreflexão nos permite nos enxergarmos em primeiro plano de nossas vidas.  Por vezes nos lamuriamos e nos maldizemos, desconhecendo que somos criaturas de Deus.  Neste sentido, toda e qualquer corrente que nos atrasa se expurga.
Evitar contextos ruins em nossas vidas, tantos os que já superamos quantos os que se apresentarem.  Pois a vida nos impõe determinadas lutas e nem sempre vencemos e nem cruzamos a linha de chegada, porém, sabe-se que é preciso lutar. Não é possível decretarmos as nossas derrotas pelo nosso próprio espírito, pois de nada vale e não há referencial para outras respostas.
Volto-me a essência do diálogo consigo próprio como forma de autorreconhcimento, pois nós mesmos podemos ter as nossas próprias respostas e saídas. É que, por vezes ignoramos o nosso potencial. Contexto em que precisamos enxergar outras pessoas nos nossos caminhos de mudanças, pois os amigos também nos fazem ser diferentes. Sentido em que precisamos nos amar a nós próprios como essências do bem.
Há condimentos que temperam a nossa vida, mas o amor é o óleo e a condensação da boa relação consigo mesmo, com os outros e com a vida. Desta forma, precisamos querer mudar e praticar o bem como virtude sem criar obstáculos que se tornam monstros em nós.
Sei que nada sei, pois posso estar completamente errado.   
Leia este artigo completo no Blog do Jornalista Nilson Ericeira – Usina de Ideias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário