29/11/2018

Metástase social


Meias palavras vazias e umas religiões
Meio bobo e muitos tolos
Um pedaço de bolo
Umas tiras e chavões
Soltem palavrões!
Umas tolices em nome da família
Indiferenças e crenças
Enquanto cresce a ignorância
Pois tão avançada que metástase
Pobre país pobre
Que acredita em falácias
Que renova amordaça com euforia
Enquanto os pobres se engalfinham,
levaram uma boa parte de meu queijo
E lavaram as mãos para mim!
Indiferentes crêem em palavras evasivas como se milagreiras
Oh triste Nação, de que derivas essa podridão
Ainda que seja tarde, solte-me dos grilhões e porões
Pois prefiro morrer a ter vida evasiva
Ou por menos, cura-me de metástase social
Ou mesmos sara-me de feridas indiferentes
Pois ainda sinto a dor do último golpe
E, ainda, nem sarei de feridas recentes

Nilson Ericeira

Resíduos


Parte de mim é viajante
Outra dilacerante
Parte de mim sangra
Outra estanca
Uma parte não é parte, decompõe-se
Parte de mim é todo
A outra definha
Parte de mim está em vários lugares
Outra parte, inerte
Parte de mim te quer por inteiro
A outra, omite
Parte de mim é solidão
A outra é procura
Parte de mim te aceita
A outra, nem te ver
Par de mim é céu de estrelas
A outra é noite
As minhas partes me faltam
Outras partes me completam
Parte de mim é mundo
Uma parte devaneia em criações
Minha parte não é completa
A outra se encaixa, me guarda
Pois sei que sou ser incompleto

Nilson Ericeira

Arari e seus artistas!

Aqui literalmente um ser humano com alma de artista. Zeca Lobo, um dos notáveis da cultura e da arte de Arari, carnavalesco, forrozeiro, compositor, locutor, 'jornalista' e funcionário público. político pois corre na veia a tendência de família. De origem humilde, Zeca Lobo faz a diferença em

tudo que faz. 

A sua alegria é a alegria de muita gente. Por isso que hoje fazemos esta pequena homenagem. 
Por sinal uma homenagem muito simples em relação ao seu enorme espírito de artista. 

O hipocrisia dos discursos e as falas que comprometem


Quando ouvirmos alguém falar temos que ficar atentos. Quando a pessoa que fala é pública temos que ficar mais atentas ainda, pois supostamente representa o coletivo. Após o discursos de alguns, não saberemos dizer que nos representou de fato na sua fala. Isto se não tivermos contexto de análise ou se não participarmos da vida política da sociedade. O povo tem que participar de alguma forma, pois é depositar responsabilidade demais para um agente representar uma massa dentro de um período não muito curto. Eis que entra sempre em cena à hipocrisia do discurso. Falam do que não sentem e ainda se comprometem com o que não realizam.
Abre aspas para dizer: “temos que ter cuidado com os produtos que nos anunciam”. Há um contexto a ser analisado. Pois poderemos anular toda a nossa trajetória de ser racional ao admitirmos, ratificarmos a nossa irracionalidade ao não sabermos interpretar as nuances das falas. Não há como evitar os falantes. Estão em todos os lugares e agora, neste período de plantio em alto e bom tom suas intenções. Depois é só tolerar outras falas da opressão, da submissão, da insubordinação, da dissimulação, do eu não sabia, do desamor e até da irresponsabilidade. Há muitos assuntos sérios a ser discutidos. E eu tenho certeza que isto não acontece só na política partidária.
É quase sempre assim, de repente surgem como salvadores dos malogros que eles mesmo foram causadores. Mas é bom que fiquemos atentos, pois quem discursa na política se prepara para exercer o discurso e na política um deve sempre está em harmonia com o outro.
Voltaremos a escutar as mesmas falas apenas com uma diferença, é que elas soarão melhor pois não se criam do à toa, mas por precisão. As palavras agora fazem parte de um planejamento político, por isso se travestem de “boas” intenções.
Sempre que abordo temas correntes me preocupo em não fazer passar como toda a verdade, mas apenas como caráter opinativo, uma vez que ainda estou em fase de aprendizagem. Então, mais uma vez, afirmo que este texto necessita e complemento, pode até ser inútil na parte ou no todo. 


Autoflagelação poética



Um dia farei um pacto com a poesia.
Me darei ao texto, me entregarei a palavra.
Nem sempre direi palavras certas.
Nem sempre direi palavras, omitirei sentimentos.
Em outros momentos eu serei silêncio.
Serei eu em mim sem me encontrar.
Não direi nada, não existirei.
As minhas palavras não serão mais minhas.
As minhas ideias vazias esvaziarão meu eu.
Eu me vou pra bem longe de mim.
Mas que eu sou eu se me faltarão palavras, dizeres...
A minha poesia melancolicamente se esvai de mim
O meu corpo que não é nada se igualará a minha única palavra.
Poderei até repeti a dor, fingir...
Um dia desse eu serei poema concreto, serei palhaço.
Terei cansado, não terei pressa de escrever essas coisas fúteis.
E procurarei ressuscitar palavras mortas.
Elas me calarão, me silenciarão.
Alguns homens me levarão de cabes baixo pra um lugar comum.
E em litígio bacteriano não me sobrarão palavras para um adeus.
Adeus!

Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Ter você em mim é luz que acende todos os dias me proporcionado as condições de que preciso para tornar cada vez mais forte o nosso amor. (Nilson Ericeira)

28/11/2018

Morada


Então te procurei.
Te procurei na minha solidão noturna.
Te seguir assim que clareou o dia.
Te procurei no brilho das estrelas e na imensidão do céu.
Te busquei entre as flores e aspirei essências tuas.
Aspirei a teu amor e me doei em procuras.
E quando assistir no meu coração aflito.
Em taquicardias silenciei em mim à reflexão.
Assistir ao espetáculo do meu coração pulsante.
Reclamante de amor...
Passei de mim e dos meus sentidos para te oferecer amor.
Me encontrei nos caminhos que tracei para te encontrar.
E, assim, passaram-se os minutos a procura de uma eternidade.
E, novamente, me debrucei sobre mim para te encontrar.
Eu sei então, uma procura em vão, pois moras no meu coração.

Nilson Ericeira

Ponto de vista: O pluralismo exige respeito à diversidade e quem ler, mas não assimila esta exigência, também não se preparou para a vida em sociedade. (Nilson Ericeira)

Arari: vida e poesia!


Quero ser simples


Como voo despretensioso
Igual a água que desce para o mar
A pessoa que espera para amar
A barriga que guarda a sua cria
O beiral a gotejar
O silêncio da noite que não tem pressa para o dia chegar
Da mesma forma que rasga no peito de amor novo a lubrificar
Ou pássaro a se molhar
Andorinha a sobrevoar...
E o céu no infinito que não sabe onde vai dar
O horizonte até onde a vista alcançar
Fruto verde que quer maturar
Folha que rola sem pressa para estrumar
Raiz fincada no peito que pede para amar
Oceano que mais água quer derramar
Amor a se contemplar
Um pedaço de lua ou mesmo ela inteira a admirar
Estrelas trocando de posições sem ceder seus lugares
Pois o que eu quero é ser simples e ter sempre alguém para amar
Sem premeditar que logo esse sorriso me conquistar
Com expectativas de novas flores no lugar onde vou estar
De ver sol nascendo, vivendo e se indo...
Sem despedida e sem pressa para um novo dia voltar
Que lindo!
No ocaso de qualquer lugar
Ser simples para sentir o cheiro do meu lugar
Tecendo fio a fio a poesia quem te quer amar
Palavras que nascem no coração que pretendem se arrumar
Olhar para o céu todos os dias e festejar
Feito bicho no cio que quer se apegar
E seguir a vida sem ódio, sem medo e sem preconceito
Mas sempre encontrando no ser um irmão para abraçar
É esse o calor que preciso para me confortar


Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Temos pessoas especiais que nos consideram e nos amam e isso nos basta para que nos sintamos seguros e, ainda, termos a certeza de que nunca estaremos sós. (Nilson Ericeira)

27/11/2018

Coração em maresias


Eu tenho medo de não poder ser poesia.
De não me ver poeta por uns segundos de um dia.
Que será de mim se não houver poesias.
De não ver o Sol nascer.
Pois eu quero te colher no meu jardim de amor.
Tenho medo de perder poesias e asfixiar.
E de me perder em poesias.
E de meu coração não ser maresias.
De não ver ter riso, não escutar de teu canto e não escutar teu peito.
Eu tenho pavor da agonia da morte.
Pois sem teu amor não terei mais o norte...
Eu sei que ficarei sem o leste a oeste de ti.
Receio de um dia, por uns segundos de um dia,
não ter o recheio desse amor.
O encanto da flor, o entardecer a recolher-se.
Mas eu seu que sou forte e vou para o norte.
Eu tenho medo de não acertar o caminho.
Nas se for em direção do teu ninho:
meu coração, oceano.
Ainda bem, pois assim só sentirei alegria.
E me encherei de poesias meu coração maresias.
E derramarei em qualquer mar até que seja possível viver e amar.

Nilson Ericeira

Palavras abstratas


Eu sei que minhas palavras abstratas não te tocam mais.
Mas o que mais sinto é que as minhas feridas continuam sagrando demais.
Se eu pudesse ter o domínio de mim não te daria o domínio do meu coração.
Mas sem o domínio do meu coração faço preces e até oração.
Para ter teu amor a vinda inteira e semear as semente e sentir a unção.
Eu sei que meu jeito de ser agora já não te incomoda como antes.
É que eu era teu amor e o teu único querer.
Pois então, pelo menos escute palavras abstratas e os dizeres do meu coração.
O teu amor é tudo que preciso para viver e ser feliz.
Eu te amo e isto é meu coração quem diz.
Como não tenho o domínio dessa fonte de amor.
Escrevo palavras abstratas, substantivos concretos e uns mais que comuns.
Espero um dia que compreendas que não tiro palavras do vento.
Elas são meu alento e minha forma de sobreviver e nutrir esse amor.
E se a minha fonte um dia secar, culpa tua.
Pois não quisera compreender, nem me ver.
E sei que te encontrarei em toda a sílaba ou silabada que em mim jorra.

Nilson Ericeira





Quando o egoísmo fala mais alto


Da série: Porque gosto de escrever
Sabe-se que a vida é uma competição e que podemos competir sem alijar pessoas. Este é um processo natural e inevitável, porém precisamos, até para o nosso próprio crescimento, respeitar as regras do jogo e não ser injustas.
Mas há quem paute a sua vida na vida dos outros e se escorando ou mesmo fazendo de escada para os muros de que projeta. Não falta gente com esse perfil e que ainda se vangloria de ser ‘um vitorioso’. É que esse tipo de gente não aprendeu outra coisa a não ser bajular e rastejar. Arrasta-se com a habilidade do repteis e camufla com a mesma intensidade. É um animal em mimetismo com a cor da floresta que lhe convier.
Eu penso às vezes que como podem dormir àqueles que fazem o mal a pessoas pelo puro prazer de quererem desestabilizar os outros e ocupar funções de prestígio. Penso ainda de como é o sossego de suas consciências! Como podem encontrar sono! Mas sei que vivem tranquilos como se nada fizessem, pois entre outras artimanhas, aprendem a lidar com suas façanhas como se fossem atos normais. É como se fossem praticantes de crimes comuns ou criminosos contumazes. O que gera hábito sem que haja punição, ou seja, gera impunidade, passa-se por normal.
E, acrescento mais, contra valores e imoralidades não devem servir como insumos de educação que tenha como objetivo a justiça. Precisamos ficar atentos a pessoas que só pensam em si próprias e se consideram verdadeiros ‘deuses’ e que aumentam o seu grau de narcisismo quando encontram quem lhes façam sombras.

Igarapé de Arari (Garapé de Arari)


Pele e epiderme


Dê licença para eu dizer algumas coisas que já sei de cor
Alguma me prometem, outras é dever.
Me prometem todos dias ter melhor vida,
mas eu sei que é só fantasia
Que progresso é esse que não passa de promessa
Eu te confesso ainda espero pelo pão de cada dia
O que importa a minha cor, a cor da pele ou qualquer outra diferença
A religião que eu sigo, o Deus que acredito, a unção que sou convicto
A ideologia que formei, a escola que estudei...
Nada disso tem valor se o amor não for único o veredicto
Se não somos tão iguais, podemos ser iguais nas diferenças
Mas o que é eu espero desse meu país tão diferente
Se tratam minha gente na igualdade consentida
Estabelecem diferenças entre os humanos,
que coisa mais insana
Então eu te pergunto, que tem a ver a minha pele
E até tua epiderme, se os meus olhos é que me dão a tua forma
Se da fôrma que sair não há outra desconforme
Mas sei que quando nos separar,
pode ser bem maior a dor na despedida
Então, não me prometa mais do que preciso
e nem me ofereça mais do que mereço
Todos os dias eu amanheço contemplando a luz do dia
E sempre acreditando que a esperança não morreu
Tanto é que corro logo os meus olhos no jardim
Só para ver qual é a flor que Deus fez nascer para mim

Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Gostar das pessoas e se dispor a acolhê-las no coração e no ser é sinal de que somos capazes de amar e encontrar virtudes que só nós somos capazes de enxergar e sentir. (Nilson Ericeira)

26/11/2018

Arari, razão de amar


É a luz que me dá vida
O sol que me aquece
A água que me purifica
O ser que me serve
E ser servidor
Pois eu só vivo de amor
É o meu o peixe que me alimenta
O pão de minha vida, meu amor
Minha guarida!
A mulher, o homem com suas diferenças
É a igualdade no que se faz diferente
Os desejos de minha barriga
Minha vontade de unção
E até as batidas do meu coração
O sangue que em mim corre
O caminho que me leva
O sentido da luta
A paciência da espera
A hora que chego e volto
A saudade que há
As razões de amar
O choro iniciante
O riso que fica
É amor edificante
O sal da vida
O doce do beijo
O calor dos abraços
E muito mais do que faço:
o meu sinal de alegria!
É vida parida
É sempre uma nova cria
É o adeus na despedida
Uma saudade doída
Minha pele, meus ossos,
meu suor, órgãos e sentidos
Meu tempo preferido
É o único amor que edifico
É a raiz, a semente, a flor e o fruto
É o meu cio de mar
É a minha respiração e ar

Nilson Ericeira

Após a despedida...


Onde anda alguém que deixou meu coração desse jeito
Que nem pensou no que seria a minha vida
Que foi embora, mas deixou em mim sementes da flor do amor
E deixou marcas em meu coração
E nem me preparou para as desilusões da vida
Hoje eu carrego as lembranças e sementes do amor em maturação
E assim espero todos os dias por uma nova estação
E faço do orvalho chuva forte para regar esse amor que me alimenta
De um raio de sol faço toda a luz que eu preciso para fazer sobreviver sementes
É que esse amor não sai da minha mente
Já até procurei outros canteiros em terra fértil e sempre me engano
Levo todos os condimentos para fazer nascer a flor!
Mas sei que é em vão, pois é você que eu guardo para sempre no meu coração
E o ser que meu peito pede e o meu coração reclama
É que nesta vida eu nunca amei alguém assim
Em forma de sementes em maturação e flores deste meu jardim
Por isso vou juntando cada pedacinho do que restou
Pode ser que em sonhos eu ainda tenha um jardim repleto de flores e jasmins
Pois eu sei que esse amor é a semente que Deus fez brotar em mim

Nilson Ericeira

Tortura

Não me leve por favor nesta onda aparente
Não, não me leve
Prefiro me intoxicar comigo mesmo
Disto eu cuido muito bem,
A morrer em mim em sentimentos tão especiais
Pois tende a sucumbir em mim a ilusão máxima
De ser um patriota!
Porém sei que me pareço mais com um idiota qualquer
Aceito como correto esse falatório hipócrita
De ver essa gentil tão vil e fácil
É de dá nojo
Tomara que eu resista não morra antes da minha hora
Pois o que vejo é um 'copião' de página morta
O que não serve para me alimentar é servido em banquetes
Então, eu te peço nem me chame para essa festa


Nilson Ericeira

PENSAMENTO DO DIA: Há pessoas que nos lembramos todos os dias, pois representam o que há de melhor numa relação. Por isso mesmo são pessoas especiais. (Nilson Ericeira)

25/11/2018

Uma opinião simples ou uma simples opinião!



Estive pensando muito sobre este assunto e resolvi emitir a minha opinião. Tomara não seja uma opinião tão simples ao ponto de não deixar nada que o leitor possa se aproveitar, isto se lhe convier.
Ao tempo em que a minha pretensão é que não seja uma opinião simples.Há pessoas, e pode até ser que eu esteja entre estas, de que não dão ouvidos a opiniões. Porém existem aqueles que se apoderam das opiniões dos outros fazendo delas não somente suas opiniões, mas planejamentos para as suas aspirações.
Nunca duvidem disto, por experiência própria, a inteligência não está apenas em nós, os maus também têm Inteligências, mas que pena que não usam a serviço do bem e, sim, para satisfação de seus próprios egos ou mesmo para a sua sanha patrimonial.
Não obstante, é preciso que guardemos nossas opiniões simples para o nosso consumo ou mesmo para quem realmente precise. É que gastamos tempo com pessoas que não precisam da nossa ajuda por mais simples que seja. 
É que, por vezes, fazemos falsas expectativas e acabamos nos frustrando em relação às pessoas.  
A opinião não surge do nada a não ser que seja uma simples opinião ou mesmo uma opinião simples, digo sem conteúdo e intenções. Contexto em que devemos sempre escutar as pessoas por mais que pensemos que não acrescenta nada em nossas vidas.Penso que há sempre algo a mais nas nossas intenções, neste texto não é diferente.

Segue firme a construção da quadra do Colégio Comercial de Arari - Fundação Cultural

Centenas de alunos serão beneficiados com essa grandiosa ação. . A obra é resultado de 'contrato' entre a Prefeitura de Arari e Governo do Estado, e que tem como contemplado o Colégio Comercial de Arari - segmento Fundação Cultural de Arari.

Roubo de hidrômetros

Umas das residências atingidas pela ação dos malacos foi a minha aqui no Jardim América. Além da minha residência mais duas tiveram os hidrômetros arrancados na marra. 
Veja só o transtorno por que passamos tendo em vista temos idoso com doenças degenerativas em casa! 
Registramos a Notícia Crime na Delegacia da Cidade Operária e mantivemos contato com o Plantão da Caema que já tomaram as primeiras providências. 
Quem rouba sabe que existe comprador para o produto ação do roubo. Ou não?


PENSAMENTO DO DIA: O mais correto não é somente pedir desculpas sempre que admitimos nossos próprios erros para com os outros - embora esta ação seja muito importante - mas, principalmente, não nos tornarmos reincidentes no que sabemos fazer mal às pessoas. (Nilson Ericeira)

24/11/2018

Aurora da minha vida!


Confidências


Por que você invadiu meu coração
E adentrou em minha vida
Deixou em mim marcas e feridas
E, quando partiu, nem um sinal de despedida
Por que se foi embora desse jeito
Deixou essa dor dentro do meu peito
e nem um sinal deixou
Por que me fez tudo isso em nome do amor
Deveria pelo menos me dizer alguma coisa
E o que restou do nosso amor
Por que aquele riso e aquele abraço na chegada
Pois seria bem melhor não ter sentido o teu calor
Agora não sei o que faço para poder te encontrar
Mas me mande pelo menos uma noticia
Quero o teu endereço que sei que fica no meu coração
Mesmo assim me diga qualquer coisa e me devolva o que restou
Diga-me os porquês dessa mudança e me dê pelo menos uma esperança de juntar o que quebrou
Pois se fora para ir a sua procura vou agora mesmo de procurar
Mas de uma coisa nem precisa de pergunta
Eu encontro logo uma resposta que é você o ser que mais amei

Nilson Ericeira


Arari para sempre II


Arari para sempre

Personalidades da política arariense