03/08/2017

A palavra egocêntrica

Rodeado de sangue.
Um leprosário a céu aberto.
Culto ao personalismo em noites de luares.
Em nome de quem se faz o nó da forca.
Pois a pior dor sentida é a que nos tira os sentidos.
Aquela que não só lhe tira o hospital, mas lhe toma a vida.
Aquela que engana as crianças e seus pais.
E furta a cor do salário dos professores.
Que, ainda assim, usa em conta-gotas o suor de um povo tão sofrido.
Mesmo assim aparecem com um rol de palavra ôcas, discurso xucro, palavras mortas, embalado por grosserias. embutidas.
Ainda assim, ganham asas nos passeiros convenientes.
Sinto cheiro de podridão, vem da depuração de suas falas.
E é hora de aplaudir, mesmo com náuseas.
Aqui fico torcendo que o odor da carniça entre seus dentes passe logo pra ver se nosso ar seja restituído.
Pobre de nós que bancamos e pagamos pelo luxo dos fariseus pós verdade.
E aí, reproduzem em falácias...


Nilson Ericeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário