31/08/2017

Brasil sem nexo



País que se preza respeita a sua Constituição, pois é dela que derivam todos os outros Códigos, mesmo que seja antes (derivados) ou depois Dela (originários).
Os funcionários públicos e outros trabalhadores de maneira geral não devem pagar o pato pelo pacto corporativo e corrupto que se estabeleceu no cenário dos Poderes. As medidas contra os trabalhadores brasileiros enterram garantias fundamentais e crivam de morte os direitos conquistados ao longo da história.
Nem precisa analisar com profundidade para sabermos que as medidas de hoje poderão levar à sociedade a uma crise ainda maior da que vivemos atualmente. Acharam pouco mexer só na CLT agora enveredam pelo enfraquecimento dos funcionários públicos.  Querem tratar com mais diferença ainda os novos servidores. Isso mostra que  desrespeitar as regras constitucionais não têm sentido! Mas é o que fazem.
Ora, mas se o próprio Presidente da República, pego com as mãos caiambuca, fora praticamente absolvido, como podemos os brasileiros sermos cobaias dos pacotes instituídos?
É que além da crise moral, mergulhamos no mais profundo retrocesso da nossa história. Cortar direitos e negá-los dói no bolso, desestrutura a sociedade e fere de morte  prerrogativas constitucionais. As regras são para todos e quando um entre vários não cumpre, cabe as reprimendas da lei.
Tenho pensado que não há nexo em ‘autoridades’ devidamente investigadas em inquérito ou respondendo processos por atos ímprobos possam, enquanto durar a lide, ditar ou mesmo editar quaisquer regras, muitos menos àquelas que são conquistas históricas e advêm da luta da sociedade organizada.
O imobilismo dos movimentos sociais e a letargia com que assistimos ao descaso proposto pelo Poder central têm suas justificativas no recente processo histórico. Mas a continuar assim e, em sendo levadas a cabo algumas medidas prejudiciais aos servidores públicos, todos seremos afetados e é bom lembrar que já costume acontecer o efeito cascata nos estados federados. Isto é grave.
Alguém precisa lembrar que a crise existe, porém não fora gerada pelos trabalhadores como quer fazer passar parte da mídia e em repetidos discursos de ‘políticos’ fascistas.

Arari noutra dimensão



Deus assim que me chamou.
Pôs-me na terra para amar.
Disse-me que Arari é meu lugar.
Conto os dias, as horas, os minutos e até frações de segundos.
Só pra beber na fonte desse amor.
Sinto-me contemplado por esse amor que jorra em mim.
Algo que me faz tão diferente assim.
De multiplicar esse amor até o fim.
E lá do céu fazer as poesias que aqui não fiz.
Inspirações que não tivera sem oração.
Lá de cima fazer derramar unção.
Óleo ungido sobre meus irmãos.
Cantar e declamar as poesias do meu coração.
E para sempre saciar a sede de amar este lugar.
Arari é tudo eu há de melhor em nós.
É esse abraço que me aperta e me diz muito mais.
É o amor de quem sempre quer mais.
O fruto que vem da terra é derivante desse amor.
De ti é que sou filho, amor amante.
A ceifa que deixa os meus olhos tão brilhantes.
É repetir dentro de mim um amor estremo.
Anda bem que sou um viajante.
Pois assim eu posso viajar em ti a todo instante.
E para sempre declarar amor alucinante.

Nilson Ericeira





Saudade que no amor se explica



Hoje eu resolvi pedir teu coração mais uma vez.
É que bateu me bateu uma saudade de nós dois!
E lembrei daquele tempo que eu te conquistei.
Tudo era riso e felicidade entre nós.
A alegria era uma constante que eu nem sei dizer.
E nem fiz questão de entender.
Sabia que tudo que fazíamos iria novamente renascer.
E o tempo foi me ajudando escrever o nosso amor.
De linha à linha, de página à página tudo se preenchia de alegria.
E agora o que restou para eu te conquistar.
Ainda estou a descobrir.
Mas quero te dizer que é teu o meu amor.
Pois por onde eu for vou recomeçar o que em nós Deus edificou.
Construir mundo só para nos fazer feliz.
E fazer nascer a flor mais bela para te oferecer.
Com essências puras do amor que me restou.
Onde quer que eu vá, eu te levarei comigo.
E nem mesmo a distância vai te tirar de mim.
Pois eu sinto a tua presença até na despedida.
E sei também que és para sempre presença viva em minha vida. 

Nilson Erieira

PARA REFLEXÃO SE COUBER: Nosso ser é alimentado por coisas ruins e boas, algumas para alimentar a nossa fome e sede orgânica, pois da mesma forma devemos alimentar os nossos corações, assim poderemos viver em harmonia e, ainda, contribuir para que a justiça se torne a regra nas relações de que nos dispomos. (Nilson Ericeira)




PENSAMENTO DO DIA: Nem sempre somos agraciados por conquistas quando iniciamos a nossa vida social, mas precisamos persistir e nos preparar, pois os frutos das vitórias são frondosos. (Nilson Ericeira)

30/08/2017

Pódio ou picadeiro



Não me desejo um ser mecânico a não me indignar.
Ao ponto nem sentir a minha dor.
Muito menos a de que causei.
Não serei egoísta e nem causador da morte de meus irmãos.
Nem aplaudirei os caras limpas da política.
Não me debruçarei a admirar tiranos.
E muito menos perderei meu sono por injustiças minhas.
Pois não as terei, nem de dia e nem de noite.
Mas não subirei a ao pódio do nada, do ócio, do vazio...
Nem alimentarei vida em terra infértil.
Não sonegarei impostos, mas serei bílis quando alguém levar o que é meu.
E assim não estarei a assistir ao espetáculo.
Nem serei picadeiro e nem ‘palhaço’.
Sei que não sou digno de exercer esse ofício.
Quem sabe um dia não negarei a mim mesmo com tanta ênfase.
Em tempo algum serei esse retrato.
De coisa morta, de ato falho, de causa injusta.
Mas quero me produzir para aplaudir os que amam.
E, igual a um palhaço, em mensagens me fazer morrer de rir.
Rir de mim como oxigênio da minha alma.
Que agora se ver entre as palmas das mãos.
No alarde da palmas a dizer sim aos que soam justiça.
Sem estilhaços, mas com abraços, com abraços...
E braços apertados no peito, sentidos no corpo e deslizante na alma.

Nilson Ericeira