01/07/2017

Gente e coisas de minha terra



Louvar, homenagear e amar a nossa Terra é um dos meios demonstrar nossos sentimentos de apego e pertencimento.
Valorizar quem escreve história pela tinta da caneta ou dos pinceis, em verso ou em prosa, é um dos nossos deveres enquanto seres sociáveis e sujeitos de uma inter-relação entre homens, seres e coisas.
Abro um espaço de mídia para apresentar como que uma editoria do Blog do Jornalista Nilson Ericeira com o tema “Gente e coisas de minha terra”. Este título é inspirado no livro de José Fernandes, o Zé de Todos nós, um dos nossos melhores escritores e poetas. “Deus te salve, Deus proteja nobre terra de Arari”.
Alegra-me compor esta página inicial com um sujeito simples e humilde, de fino trato, um idealista e que se encontra com as artes no seu labor artístico, mesmo não se conformando apenas com o dom exuberante e especial dom de compor as mais belas telas em formato de lindos quadros, que ganham o mundo com a pluralidade de sentidos que a arte nos proporciona, Flanklin é uma ativista por excelência, pois além de ser guarda municipal – exerce liderança entre os artistas locais o que lhes tem rendido bons frutos no meio social e cuja ideologia já tem reflexos reais.
É um sujeito inquieto que empresta sua sapiência para levar os artistas de Arari e suas obras além-fronteiras, possibilitando que outros ares e lugares sintam e tenham também a nossa arte por meio de nossos artistas.
Não é difícil saber de quem falo, pois na Matriz, no nosso Rio,  nossos lagos, nossas praças e até nossas flores são poesias em suas telas. Ganham vida e sentido polissêmico! Eu sei e você já sabe que o nosso iniciante nesta coluna é nosso magnífico Robert Flanklin Silva, um artista por excelência, um ser humano especial!  Arariense, Flanklin é casado com dona Lenir Pereira Fernandes e é pai de Thamyres Ohara Alves e Robert Flanklin Silva Fernandes. Flanklin nasceu em Arari, é membro da Academia de Letras Artes e Ciências (Alac), um intelectual orgânico cuja essência lhe tem tornado a cada dia mais conhecido pelo ser humano que é e também pela  produção intelectual de suas telas.
A tinta da vida – a tinta da tela – à poesia - Nosso primeiro homenageado é o precursor e um dos idealizadores da “Morada das Artes”, espécie de vitrine em que os intelectuais de vários saberes expõem os seus produtos para o Mundo ver.  Vale ressaltar que esta ação rende ao nosso Município de Arari não somente o valor individual de cada peça, mas principalmente gera divisas tornando nossos produtos acessíveis e nossos artistas reconhecidos pela magnitude de suas produções.
Assim penso que este representa o sentimento de muitos ararienses que gostariam de dizer cada um e todos a Flanklin da sua importância e o quanto ele é querido e admirado por todos nós. Desejo, de minha parte, que esta página faça parte dos anais da história de nosso torrão amado, nossa terra, nosso amor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário