12/06/2017

A sequidão da corrupção e a mídia controvertida



O silêncio dos bons e a frieza dos ignorantes! O imobilismo nos conduz ao caos, mas sem pressa, pois pedra a pedra se sedimenta no Poder dos injustos. Assim é que contribuímos para uma sociedade de hipócritas, de faz de conta, de desonestos e desajustados.
Penso que quem detém o Poder sabe da incapacidade e do imobilismo social, tanto é que as suas táticas ilusionistas têm dado certo para a manutenção.
Nossas escolhas muitas vezes comprometem a nossa vida social, tornando-nos prisioneiros. Não é só a corrupção que nos diminui, mas todos os fatores que dela derivam. Pois para o ‘político de uma figa’ é melhor ser rodeado de pedintes ou bajuladores a ter pessoas conscientes e preparadas. Assim, eu sei que existem os de consciência reduzida. Talvez, assim, de memória inconsciente e volátil.
Somos responsáveis por muitas coisas, pois permitimos a nossa precoce redução a intenção desses mamulengos e isto sem nenhum demérito aos artistas-palhaços que nos encantam com a sua magia, mas aos que frustram a nossas esperanças nos púlpitos da vida.  
O Brasil acelera a sua sangria vergonhosa e mostra todos os dias para o mundo um festival de besteiras. Discutem o rito, as fases processuais com se quisesse dá alguma satisfação. A maioria de seus termos técnicos servem apenas para esconder as suas intenções. Ainda assim, conseguimos tomar partido, ou admiramos um ou outro falastrão. E logo temos veredito baseado na posição magistral de um magistrado.  Que imoralidade!
A sequidão e a pequenez a que estamos submetidos definharam a pauta da mídia nacional. Esperamos atentos com que de plantão o plantão da má notícia. E ainda esperamos na mesma edição como na ordem da pirâmide invertida a última sacada da noite de indeléveis corruptos.
O que é isso? Até quando vamos ter que passar procurações podres infectadas da má política, exercida na sua plenitude corrupta por homens inescrupulosos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário