22/05/2017

Ásperas pedras II


As pedras são pessoas.
Pois elas atiram pedras e jogam pedras nos caminhos.
As pessoas se doam, e se jogam e parecem ser pedras.
Pois insensíveis nem sentem mais!
E cegam, e cegam...
É, mas há pessoas que são pedras.
E quando se juntam formam rochas.
Deixam de ser pedras e são rochas.
Não precisam de outras pessoas, pois de pedras, inertes machucam.
Têm pessoas tão vazias e pedras que não aprendem.
Porque as pedras não sentem, disfarçam.
Elas rolam indiferentes, não sentem frio, calor e nem dor.
Não vivem, são ilhas.
E se elas falassem!
Sentissem, edificariam.
Mas são pessoas...
E pessoas não são coisas, mas se coisificam.
Pessoas disfarçam, fingem que o que parece verdade.
As pessoas não são pedras, mas podem ser rochas.
Elas fingem, fingem e nem sentem,
desmoronam vidas.
São escadas, mas poderiam ser caminhos...
Às vezes são pedras e estilingues.
São setas...

Compadre Robrielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário