09/03/2017

Ponto de vista II



Estabeleço uma análise do cenário político estadual e percebo que os nomes que já se cogitam, tanto para o Governo do Estado quanto para o Senado são os mesmos. Para o bem da democracia precisamos renovar nossos quadros políticos, mas é que às vezes os conchavos se estabelecem de tal forma que para velhos conhecidos este fator passa a ser desimportante. 
Nas próximas eleições serão disputadas duas vagas para o Senado, que correspondem a dois terços da vagas, mesmo ínterim que serão disputadas as vagas de governador (na mesma chapa com o vice-governador), para deputados estaduais, federais e distritais. No Maranhão, pouco ou quase nada de novo se apresentará, pois os nomes que estão pretendendo entrar no jogo já são velhos conhecidos.
E os suplentes de Senadores que vão de carona, sem ter voto, mesmo assim dão sorte de seus titulares se licenciarem por motivos no mínimo estranhos.
O nosso sistema partidário é excludente embora agregue grande número de Partidos. Para isso, quando se aproxima as eleições começam a dá sinais de vida. É hora de se avizinhar. Não se tem a possibilidade do surgimento de novas lideranças, pelo menos a curto prazo. Dá-se até o luxo de um pretenso pré-candidato alardear que o candidato natural do grupo X ou Y é este ou aquele. Então, em seus nichos vislumbram-se como donos!
Às vezes fico me perguntando por que tanta gente preparada não se interessa por Política! Na minha modéstia opinião, não podemos deixar que outras pessoas decidam por nós.  O Maranhão é um dos maiores estados da federação, inclusive em área territorial e, portanto, muito grande para ser mandado, comandado e desmandado por poucos.
Sinceramente, gostaria que este texto estivesse totalmente desfocado da nossa realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário