31/03/2017

Eu poético I



O meu silêncio não é só sinal de omissão.
É reflexão...
A minha inação não é sinal de aceite.
É estratégia, calculismos, abismos.
A minha explicação não é sinal de apelação.
É persuasão, portanto matéria incompleta.
O meu ruído, resquício de Comunicação.
É craqueamento da matéria prima primeira.
A minha nostalgia não é só de saudade.
É angústia, ansiedade, reflexões...
Meu apego não é só de amor por ela.
Mas de humanização.
Minha solidão não é só dessa minha demência.
Mas de umas incompletudes...
Minha água não só é de composição.
Mas do beijo da revelação do amor.
Dos abraços condizentes e 'diz-entes'.
Das decifrações...

Compadre Robrielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário