28/03/2017

Amor sinestésico



Assim que ecoou o canto.
Assim que eu vi teu pranto.
Assim que abstrair do teu riso, amor.
Assim que eu te vi chegar.
Assim se eu não te amasse.
Não me comporia.
Eu não teria forças.
Assim tão de repente te foste sem se despedir.
E sem se despir.
Sem que eu me abstraísse de tua essência.
Ah eu sei que a vida nos apronta.
Pois nem deu tempo pra te agradecer.
Na minha vida há essa expressão de amar.
Mas eu sei que um dia vou...
Mas te levarei no coração!
Pelo pão, pela vida, pela luta, unção e transpiração.
O amor!
Quero te dizer que eu fiz da minha oração,
E foi logo assim que eu te vi em mim.
No céu, no sol, na lua, nas estrelas, no tempo...
Ah que tempo!
Quando percebi que éramos sós:
únicos e especiais...
Divisíveis em dois.
Multiplicáveis, infinitos em sentimentos.
E assim eu vou te amar pra sempre.
A minha mente te imagina.
Meus pensamentos te desenham.
O escultor te faz de amor.
Pois me deste o melhor alimento: o amor!
E ainda me fez melhor.
Por isso assim que chegares eu vou te abraçar
Sentir o teu amor.
E dizer: eu te amo!

Compadre Robrielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário