29/01/2017

Operário



Hoje eu me lembrei de mim num começo pueril.
Ingênuo e púbere.
Franzino, menino, moleque.
É, eu me lembrei de mim.
Correndo ruas do desconhecido.
Esqueci-me de contar detalhes, mas me coloquei no centro da história.
Como um protagonista, o ator principal de cenas edificantes.
Nos becos das minas e das bostas.
Olhando pro céu e aos primeiros arranha-céus.
Do Mocambo até o Passeio.
Acho que fiz uma alucinante corrida pro nada.
Constatei que não cheguei a lugar algum.
Vi-me na Pacotilha e na São João.
Encostei-me na Pedro segundo e saudei Benedito Leite.
Vim à Passeio e voltei pela Pantaleão.
Corri becos, ruas e beiradas...
E de menino me vi cidadão.
Mas no Paulo Kruger fiz meu lar que cedeu a Rio Branco.
E foi na Santa Rita que dei uma Topada e fui bater na Pérsio Pontão.
Meu começo foi difícil, mas não andei na contramão.
Na casa dos estudantes eu plantei meu coração.
Uma das minhas moradas é São Luís do Maranhão. 

Compadre Robrielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário