19/01/2017

Deus e deus



Meu deus de ensaios.
Um deus descalço, maltrapilho.
deus de mentira, não é Deus.
O nosso Deus é o da forca e não o deus da forca.
Deus não oprime, não maltrata, não se vinga.
Deus abomina o pecado, mas ama o pecador.
Os deuses de mentira atormentam.
Querem ser Deus!
Falam por Deus...
Mas são os de ensaios.
Deus não se faz de cenas hipócritas.
deus se ver na mentira, na injustiça, na politicalha.
Não existe Deus canalha!
Existe deus canalha.
Vou cortar a minha carne até doer.
Mas antes de morrer vou falar com Deus.
Mas não com minúsculos e que não têm verbo.
Nem de carne e nem de palavras são.
São ôcos...
Deus de plástico, que entoam em microfones sem elo.
Em reverberações sem sentidos.
Não há contrição.
Para ter Deus no coração tem que ter contrição.
Mas sei que a palavra certa é Deus.
Por dentro e por fora devemos ser Deus.
Pertencer a Deus.
O homem sem Deus se agacha,
por mais que se erga. não se estabelece, enfraquece.
A escrita é Deus.
O mundo é Deus.
É de Deus!
Tudo é de Deus.
Então ide e pregai.
Não cojecturai, não condenai.
Deus é o Tribunal.
Deus é razão, conhece os corações.
Ele é vida, a nossa vida.
O suspiro, o ar, a água, o pó, o oceano...
O cérebro, a célula.
Deus estação presente.
É as estações...

Compadre Robrielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário