29/02/2016

Nostalgia


Assim pela estrada nem bem o dia amanheceu.
Nas estradas da vida!
Às vezes sorrindo, outras chorando,
mas escrevendo escritas que a vida fez.
Tentando me esconder quando n o sol me queima.
E tentando me fechar em mim quando o frio me toca.
Doendo meu corpo e alma, feridas que a vida me fez.
Assim eu sigo, meio morto e meio vivo.
Respirando e inalando o perfume da presença tua.
Andando feito andarilhos por caminhos que nem sei.
Objetos de pensamento e ilações que me levam a ti.
E numa tarde, pus-me a contemplar o astro-rei.
Ele se despedia em raios fulgurantes iguais as feridas que esse amor me fez.
Mas contemplei um espetáculo de despedidas que não queria ir.
Entre as nuvens aparecia um raio matreiro.
Igual aquele dia, o dia em que querias ficar um pouquinho mais...
Desejaste fazer dali o seu lugar, pois percebias que nascias no meu coração.
Mas o corpo se foi, o amor ficou igual nostalgia.
Nostalgia alegre de quem tem certeza que ama e que está.
Está aqui dentro do meu coração.
E quando retornares aos caminhos de que procurar.
Venhas pra dentro de mim. 

Robrielle

Mais que uma saudade



Muito mais que uma saudade.
Além de mim e de minhas possibilidades.
Que quer me dizer sempre algo lá do fundo do coração.
Que escuta uma voz bem distante.
Mas que tem um eco o tempo inteiro.
Que escolhe a semente, cuida, zela, guarda e ama.
Que até admira os frutos.
Que se completa com a natureza viva.
Que se dilacera com ela morta.
Que rir, alegra-se e dá gargalhadas.
Mas que entristece e até chora.
Chora, chora de saudade!
Derrama-se, desmancha-se.
Que se enturma, que se recolhe, que se esconde.
Que aparece sempre pra dizer de amor.
Que viaja em pensamentos e aterrissa sempre no mesmo coração.
Que dá a mão, o ombro amigo, entrega o corpo e sempre oferece o seu coração.
Que se abre, abre as porta de si para receber essa unção.
Que sente ansiedade pela aparição mesmo que por segundos.
Mas que espera até uma eternidade.
Que se acha quando é correspondido e se despede de se partido na partida.
Que madruga, que sente insônia, que ama.
Alguém que sempre está pronto.
Não tem chuva e não tem sol.
È alguém que sente e finge, finge que é dor.
Mas é saudade: é saudade de amor!

Robrielle

PENSAMENTO DO DIA: “O que nos importa nesta vida é ser feliz, mas não podemos conquistá-la sem se importar com os outros, a qualquer custo. Toda conquista precisa ser respaldada em valores e bons princípios.” (Nilson Ericeira)

28/02/2016

Amor incondicional



João Victor (JV), o presente mais sublime que é tão bem irrigado que se fez do amor de Deus. Habita no meu coração. Faz parte de toda a minha luta por justiça e igualdade de tratamento. Nuca fui uma pessoa ruim, que pensasse em prejudicar alguém, depois que você entrou em meu coração, limpei-me completamente de maldades.
Você é o meu mais sublime e especial sentimento de amor. Acho que Deus escolheu você para mim para que eu me formasse melhor em mim e tivesse a sensação e a certeza de que temos que ser bons, justos e humanos.
Para mim não há verdade que o amor que sentimos pelos nossos filhos. Eu sei que os pais responsáveis se sentem assim.
Agradeço a Deus todos os dias por esse amor incondicional que existe no meu coração e me ensina a viver feliz.
Assim, nunca arredarei o pé de lutar  todos os dias para que você seja um homem digno, honrado e que sempre assimile e ponha em prática os conselhos de sua mãe Concita. Essa pessoa que igualmente a mim o que mais quer é que você.
Receba sempre o meu abraço.