18/10/2015

As tintas do meu amor


Não me leve a mal pois eu quero o meu céu com a tinta do teu amor.
Quero fazer minhas nuvens, constelações e tudo que preciso for.
Eu quero muito mais, quero te dar todo o meu amor do meu coração.
E um mar cheinho de tinta de unção.
É o amor que eu sinto dentro do meu coração.
Vejo agora que o amor já transbordou.
Faz tanto tempo que passou mas esse amor ficou.
Quero te encontrar todos os dias em da minha vida.
E te fazer amanhecer quantas vezes for preciso no raiar de um novo dia.
Com um sol compenetrante e um amor tão radiante.
Eu quero tudo, quero ser o teu amante.
E se outra vez te possuir mesmo que só em pensamentos meus.
Te prometo mesmo assim te amar como que se fosse em corpo presente.
Pois eu sempre quis esculpir teu corpo e fazer meu céu de amor.
E deslocar o brilho das estrelas e te oferecer para amar.
Mas sei que tudo isso é em vão, pois não estás mais aqui para acalentar  meu coração.
E outra vez com restinho da tinta que sobrou desse amor vou me reproduzir.
Na saudade que me leva a ser poeta, andarilho e escultor.
E pedir a Deus para sempre o teu amor.
Só o teu amor!
Pois só assim serei feliz por toda a minha vida.
Pois me sentirei sarado de dores e feridas.
A minha raiz que diz que eu posso ainda ser feliz é o teu amor.
E com os resquícios multicoloridos da tinta que sobrou.
Pintarei intensamente esse amor que me traz a vida.
Então vem logo correndo para os meus braços.
Que andam tão carentes dos teus abraços.
Mas me abrace com cuidado para tintar a tinta desse amor.
É que há recipiente cheio da tinta do amor.
Que agora já transborda dentro do meu coração.
Vejo uma mensagem desse amor que se pintou.
É ainda unção de pouco da tinta do meu coração. 

Rorielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário