04/10/2015

A nossa indiferença é campo fértil para a proliferação de cânceres sociais



Há muita falácia, mentira e hipocrisia em alguns poucos que dizem nos representar. É preciso agir e agir com justiça e igualdade já que não poucos os que subsistem diante de tanto descaso com a Nação. Hoje não há parâmetros, a lama da política nos envergonha. O cenário de corrupção é devastador. Age igual o câncer age no tecido.  Aqui a diferença é que quase todos somos atingidos pelo câncer causado pela degeneração de valores.
Não há tempo para os honestos! Há tempo para os honestos, pois estes antes de quaisquer julgamentos são julgados pelas suas consciências e temor a Deus. Penso que quem é desonesto quando vai justificar seus valores, bens materiais com base na intenção patrimonialista, deve se envergonhar de si próprio e ainda não tem como emitir outra recomendação.  
Caso queiramos refletir sobre o tema exclusão no Brasil, percebemos de imediato que quem paga as contas do corruptos e incapazes são os próprios trabalhadores, pois a carga de impostos explícita ou implícita advém unicamente dos que trabalha e trabalha duro. Neste assunto, é notório que ainda existem pessoas que não tem pelo menos uma alimentação regular por dia, mas ainda assim me vem como uma tal de inclusão digital globalizada. Não cuidamos ainda do estômago. Inocentes são mortos vítimas de ódio e negócios exteriores! É isso a que assistimos e que o mundo nos mostra.
Não há que nos importarmos com a taxa de juros? Com o que acontece no Planalto?  Na explanada? Com os guetos pobres que existem, com legiões de marginais que nos ameaçam inclusive ceifando as nossas próprias vidas. Não entendo que deveríamos ser indiferentes, mas não podemos, pois somos gentes e gente ama gente, relaciona-se com gente, sente dor, come, cospe e beija. Vai a igreja, sente febre e vibra quando o seu time de futebol vence.
É preciso ter responsabilidade com o nosso povo. Mesmo que saibamos que nós próprios é quem ratificamos os demando de Brasília, de nosso Estado, de nosso Município, de nosso bairro, da nossa rua. Somos Nós! Sim nós quem emprestamos nossos poderes a quem não deveríamos e ainda fazemos uma apressada análise na hora de perder, jogar no lixo da corrupção o nosso voto.
Os bons exemplos são para ser seguidos, o maus são para serem extirpados da sociedade. A sociedade adoece a cada ato falho de nossos representantes. Esses atos têm prejudicado muitas pessoas que se sentem excluídos do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário