31/08/2015

MAS ONDE FOI QUE EU ERREI?



Não sou muito afeito a regras, mas confesso que existem maus costumes que podemos evitar um mal pior.
Desde a infância, os pais devem orientar o seus a respeitarem às pessoas e impor algumas regras. A partir daí, deve-se começar muitas observações. O convívio com as crianças da mesma idade e o relacionamento com os mais velhos deve ser monitorado de forma que a pessoa saiba que existem pessoas que se preocupam com elas. Ao mesmo tempo que este ato não pode ser policialesco, de quem tem o domínio completamente do menor, pois esta atitude, pode fazer com que os menores tenham medo dos seus responsáveis, e, com isso, não lhes obedeçam e nem lhes tenham na condição de referenciais. Penso que o medo nunca é bom numa relação de formação. O medo deforma a relação. Isto é insuportável uma vez que devemos construir a liderança a partir de uma relação amigável e confiança, sobretudo.
Tanto que entre crianças e adultos há de se ter respeito multo e interação. Entender o outro começa desde tempos poeris e se estende por toda a vida. Esta é a regra.
A nossa educação começa em casa e depois vai em direção a outras instâncias. A família é a maior interessada em educar o seu filho. Por essa razão é que os pais devem ser sempre referências para seus filhos. Não podemos achar engraçado ou disfarçar determinadas atitudes errôneas de nossos filhos menores por uma justificativa inquestionável que é o nosso amor por eles. Disto sabemos e compreendemos por nós próprios, mas é por amar demais que devemos guardar, vigiar e amar.
Longe de mim recomendar receitas, mas sou do tempo que os filhos obedeciam os pais. Mas esse tempo pode e deve ser o tempo de hoje, caso queiramos a felicidade dos seres que mais amamos.
Há pessoas adultas que não aprenderam bons hábitos, preferiram o mal ao bem e causam tristeza aos seus. Ninguém deveria desejar ou quer o mal como opção de vida.
Por isso é que, mesmo com a inegável influência da Comunicação em nossas vidas, devemos impor limites a quem a nós deve obediência e respeito. Abrir mão do que é correto é justificar o fracasso bem no futuro que nos aguarda de braços bem abertos para nos receber. Os valores que são passados de geração a geração não podem ser renegados à pieguice como nos querem fazer entender alguns poucos ‘progressistas’.
É que eu tenho para dizer hoje, e não me furto aos erros de opinião, mas me aforo de ter o direito de me expressar livremente de acordo com as minhas convicções.

Devaneios


Deus me deu uma forma tão leve de ser.
Mas tenho medo de ser leviano.
Ledo engano, pois o meu ser não é de plástico.
No meu coração pulsa veias abertas.
Não sou um lerdo e omisso.
Na minha leveza de ser encontro o meu ser poético.
Incrustado em sonhos possíveis e impossíveis.
Todos com muitos atores...
Ancoro-me na minha própria escada
e descubro que estou mais vivo ainda.
Não me comprometo com imundos.
Tenho saudade impossível.
Tenho o infinito e o irrealizável.
Sou um desperdício no meio de tanta hipocrisia.
Eu sou o sumiço, a voz que não sai.
O sentido de mundo que esvai.
E vai!
Estou longe ser um ser completo.
Carências no faz incompleto.
O mundo nos ensina muito mais que os compêndios.
Aliás, longe de mim a perfeição.
Ela está nos soluços dos hipócritas
E ganha asas na corrupção.
Mas não quero ser leviano.
Ponho a dizer e desdizer o que houvera dito.
Assim por caminhos assistindo
a mim mesmo de modo estranho.

Robrielle

PROERD EM ARARI É UMA REALIDADE



Aconteceu hoje, segunda-feira, dia 31 de agosto, de 2015, o primeiro dia de contato a respeito do Proerd, nas escolas públicas municipais de ensino, no segundo semestre de 2015. O Proerd é um Programa de combate e orientação e à prevenção das drogas.
O referido Programa já está funcionando em outras escolas da Rede Municipal de Ensino.
O programa tem por objetivo a prevenção ao uso de drogas entre crianças em idade escolar, o qual será desenvolvido através de fornecimento de informações aos estudantes sobre álcool, tabaco e drogas afins;  ensinar os estudantes, as formas de dizer não às drogas; ensinar os estudantes a tomar decisões e as consequências de seus comportamentos; trabalhar a autoestima das crianças, ensinando-lhes a resistir às pressões que as envolvem.
Na ação de hoje foram distribuídos os materiais pelo instrutor Carlos César.
ONDE?
NAS ESCOLAS QUE POSSUIEM ALUNOS DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL.
·         1º SEMESTRE:
Ø  E.M.PADRE BRANDT – 66 – 02 TURMAS;
Ø  E.M.ANTONIO GARCIA – 56 - 02 TURMAS;
Ø  E.M.Profa. LUIZA FRANCELINA- 70- 02 TURMAS;
·         2º SEMESTRE:
Ø  E.M.Profa. LUIZA FRANCELINA- 35 - 01 TURMAS;
Ø  E.M.RAIMUNDA ESMERALDA MARQUES -73 - 03 TURMAS;
Ø  COLÉGIO COMERCIAL DE ARARI - 20 - 01 TURMA;
COMO?
PROERD PARA 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL.
QUEM? SEMED E GOVERNO DO ESTADO.

O QUE DEUS ESCREVE EM NOSSAS VIDAS!


PENSAMENTO DO DIA: “ As flores têm essência e sensibilidade e assim como as pessoas, por mais que não pareçam, são completadas e humanizadas com a essência do coração.” (Nilson Ericeira)

30/08/2015

Anatomia sintática do meu amor



Tenho um objeto direto que me pede para te amar.
Que aceita a transitividade do teu coração.
Que é intransitivo quando eu te amo.
É um amor mais que perfeito.
Que me faz um sujeito simples.
E me seduz ao predicativo de mim mesmo: o sujeito.
Serei composto se eu e tu nos amarmos.
Eu e ela nos amamos para sempre.
E mais com os dois núcleos dos nossos corações.
Eu te amarei para sempre.
No presente e no futuro de qualquer verbo e em qualquer tempo.
Então, formaremos uma sintaxe perfeita.
Com sujeito, predicado e objeto, adjuntos.
E se tiver os dois complementos.
Prefiro o amor à solidão.
Serei todos os tempos e vozes de amar.
Mas eu preciso de um verbo de ligação.
Que me dê teu ser para sempre te dizer.
Ela é a mais bela!
A mais belas de todas as criaturas.
Mas já posso encerrar com uma frase direta.
Eu te amo! 

Robrielle