30/06/2013

ENTREVISTA



O DEPUTADO CHIQUINHO ESCÓRCIO DISSE, AGORA HÁ POUCO NA RÁDIO MIRANTE, NO PROGRAMA DOMINGO MIRANTE. QUE VÃO SAIR 100 MILHÕES DE REAIS, ATÉ O FINAL DO ANO PARA A CONSTRUÇÃO DE DIQUES DA BAIXADA MARANHENSE.
DISSE TAMBÉM QUE CULPADO É O POVO POR TERMOS OS POLÍTICOS QUE TEMOS.
ESTOU GRAVANDO A ENTREVISTA E COLOCAREI OUTROS PONTOS À DISPOSIÇÃO DOS LEITORES.

Mulher madura



Mulher madura,
guerreira,
sábia.
Mulher exuberante,
formosa.
Mulher fascinante,
sedutora.
Mulher trabalhadora,
laboradora.
Mulher preparada,
aconselhadora.
Mulher faceira,
atraente.
Mulher amada,
fonte de amor.
Mulher criadora,
mãe.
Mulher amiga,
resignadora.
Mulher bonita,
diva.
Mulher luz,
sol da vida.
Mulher flor,
jardim de amor...
Mulher fonte,
inspiração.
Mulher sexo,
desejada, completa, êxtase.
Mulher compenetrante,
interessante.  
Mulher madura,
escultura.
Mulher subjetiva,
poesias, abstrações...

Nilson Ericeira
Robrielle

29/06/2013

ARARI É MUITO MAIS SÃO JOÃO

ÌNDIAS DO BOI DE ARARI

Acadêmicos da Academia Arariense de Letras, Artes e Ciências - ALAC reuniram na Casa do Professor com quorum e pauta bastante significativos.



Aconteceu em Arari, na Casa do Professor, dia 29 de junho, sexta-feira, a partir da 19:30h, a reunião da ALAC, para tratar da admissão de um novo acadêmico, o lançamento do CD do maestro Carlos Martins, a comemoração de 149 de emancipação Política de Arari e 50 anos de Grêmio Arariense dos Estudantes e outros assuntos.
A pauta fluiu normalmente com o presidente da Academia, José Fernandes, abrindo os trabalhos e esclarecendo os motivos da reunião, em seguida o acadêmico Cleilson Fernandes deu seguimento à pauta, seguido do acadêmico Paulo César Ericeira, logo em seguida foi a vez do lançamento de um CD por parte do maestro Carlos Gonçalves Martins. Paulo César falou da importância do Grêmio Arariense dos Estudantes atual Fundação Cultural para a vida política de Arari, destacando alguns de seus fundadores como David Maciel, Leão Santos Neto, Muniz Pinto e próprio José Fernandes.
Cleilson Fernandes também apresentou o site, a logomarca, o slogan e a 2º edição do Jornal da Academia. Além disso, viajou sobre a história recente de Arari nominado seus principais protagonistas.
José Silva, novo acadêmico da ALAC
Carlos Gonçalves Martins, por meio da interpretação musical, revelou aspectos de sua infância, lembrou da genialidade de seu pai em relação à música, estabeleceu reminiscências com seus avós e chegou a netos e bisnetos. Na demonstração das músicas do CD nomeou a famílias, a música e Arari como seus principais apegos.
José Fernandes - Leu parte de seu livro em literatura de cordel e agradeceu a todos. Fez referências as autoridades e, no final, realizou um sorteio do livro Portal do Infinito.
José Silva – assumiu a cadeira que pertence à sua irmã Conci, fator que segundo ele o emociona. Em pequeno discurso falou da simplicidade de seus poemas, pois ainda segundo o novo acadêmico, é um homem de poucas letras, mas que produz poesias dede os 12 anos de idade. José livro é autor de livro de poesias e revelou que vai lançar mais um, livro em breve.
Na plateia, familiares dos acadêmicos e eleito da noite, bem como um público de novos talentos que despontam na terra da melancia, da pororoca e da poesia.
Desculpem-me os leitores e ainda mais os sapiente de plantão, pois o texto foi produzido nesta hora e não o fiz fazendo qualquer tipo de anotação.

A tática da ilusão e a alienação das massas



   Escrevo sempre como forma de contribuir com a sociedade, mesmo com aqueles que não querem ou não se permitem reflexões. Escrevo também e principalmente para os incautos, incapazes que são de enxergarem nada além do umbigo e, dessa forma, confabulam só sobre o óbvio, falam pelos outros e pensam, ou melhor, reproduzem o que os outros pensam.

  Alienação que segundo o dicionário de Francisco S. Barbosa, trata de perturbação mental; indiferença com o que se passa em volta; alheamento. Mais à frente o mesmo dicionarista ou lexicógrafo descreve o alienado que, segundo ele é: aquele que é indiferente aos problemas de seu meio social; isolado, louco, doido. Também registra definição de alienador, que é aquele que provoca ou causa alienação. Dito isto não em minha escrita corrente, mas balizado pela fonte da sabedoria que muito equivocadamente é definido como o pai dos burros. Imaginem quanta grosseria!
  Tenho percebido que algumas pessoas não querem e não gostam da verdade. Preferem, dessa forma, sobreviverem com a verdade que os outros lhes passam. Mesmo sabendo que não existe verdade absoluta e que devemos até por conta de cuidados com a nossa saúde mental, relativizar fatos e, com isso, possamos estabelecer juízo de valor. Disse juízo de valor e não pré-juízos ou pré-julgamentos.
  Por mais que nos esforcemos, vivemos numa sociedade de estética, de estereótipos. O pior disso é quando não aceitamos a nossa condição de alienados e alienadores. Geralmente um alienado fala pelos cotovelos, insiste na tática e é um serviçal.  Desprovido de alguma reflexão emburra-se na sua própria casca.
  Quem mais se aproveita da alienação são os que sabem qual a verdade dos ritos, sabem o tom da banda a ser executado e até os caminhos morais e éticos a ser seguindo numa sociedade que se diz democrática. Este sim é um ser consciente. Deturpar palavras é coisa de gente maldosa, sem paz interior e doente social. Impressiona-me a arrogância dos brutos. Não se preocupam em deixar transparecer seus recalques? Os conscientes devem ter cuidado para não aceitar contaminação. O alienando raramente se enxerga e quando o faz é para repetir o que os outros querem que encuque.  Repetir o que os seus idealizadores gostariam que fosse é uma constante e está para a alienação na mesma proporção da oxigenação de seu cérebro.
  É lamentável que algumas pessoas de forma irresponsável coloquem seus súditos, muitos destes ainda menores de idade e absolutamente incapazes, no front de uma causa da qual eles próprios não são exemplos, não contribuem ou nunca contribuíram para que a sociedade se tornasse melhor. Mas a história está bem aí para não permitir que bandidos pousem de mocinhos.  Ainda bem que o tempo histórico é totalmente diferente do tempo da estória.

  Assim, concluso afirmando a tese deste artigo que é a de contribuir para que sempre façamos uma reflexão de nossas próprias práticas, principalmente quando está em jogo a soberania, a integridade moral, física, e a liberdade das pessoas.
Nilson Ericeira

28/06/2013

Mais um vínculo



A obrigatoriedade da presença de psicopedagogos nas escolas públicas de São Paulo abre a discussão para o apoio necessário à escola na mediação de conflitos
As escolas da rede pública municipal de São Paulo passarão a contar com o auxílio de um psicopedagogo para trabalhar em situações de conflito. As condições de oferta desse profissional ainda não estão definidas, mas serão regulamentadas até julho. A notícia foi bem recebida pelos teóricos da área, que esperam ganhar agilidade na regulamentação da profissão, que tramita no Congresso Nacional, e melhorar os processos de aprendizado, intervindo em situações de crise e tentando reduzir problemas como a evasão escolar e o bullying.
O projeto 11/2005, que culminou na Lei 15.719 sancionada pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), é de autoria do vereador Antonio Goulart (PSD) e foi formulado com o apoio da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp). 'Sempre me preocupou a questão da evasão escolar e dos problemas de aprendizagem. Pesquisando a legislação, descobri que outras cidades como Ourinhos e Santos já tinham essa assistência', afirma o vereador.
Leandro Quintanilha