26/06/2017

Arari meu perten-cimento



Meu pedaço de céu, meu torrão.
É o amor de todas as manhãs no meu coração.
Meu céu azul e de todos os tons, meu amor.
Eu sou daqui, terra do Maranhão.
Meu consolo, meu coração, minha voz da alma.
Meu amor e tudo que for e vier acontecer.
Eu sou daqui desse lugar em que amar é muito mais que ser.
É conhecer, se pertencer, entreter e se encher de amor.
Se enche amor até onde for.
Ah esse amor é de mim, é de ti.
É de todos nós...
Eu sei que pertencimento, é amor de uma semente.
Amor, eu sou daqui, sou de Arari.
Minha plenitude e atitudes de ser um ser daqui.
Eu sou de Arari, mas pertenço a uma nação.
A nação do coração. 

Nilson Ericeira

Arari, criação de Deus!



Um dia do céu Deus fez Arari!
Fez de uma inspiração tão maravilhosa quanto fez o céu e a terra.
E segue a profecia de uma cidade amada por todos.
Pôs seus filhos para que habitassem e vivessem nela.
Nela o Sol brilha tão intensamente e igual ao nosso sentimento.
Deus não se conformou em fazê-la apenas.
Colocou-nos para amar, viver e prosperar.
E um dia, se for o caso, nela voltar.
E se seguem os dias e noites dela que nos alimentam no corpo, na alma e no coração.
E nós somos uma mistura de quem ama e gosta de ser retroalimentado por esse amor.
Deus pôs o rio para que nos alimentássemos dele.
Pôs água e a correnteza dentro dele.
Fez os peixes e os passarinhos.
Fez até a lua para conversarmos com ela.
E nos deu nossa parte e ainda outra parte para amar.
Assim Deus nos colocou no Paraíso para que sintamos orgulho desse amor.
E, então, o amor se fez, desde a primeira vez.
Assim, aqui no nosso solo de Arari.

Compadre Robrielle

PARA REFLEXÃO SE COUBER: Há pensamentos e palavras inócuos e vazios e, portanto, não merecem crédito, pois advém de pessoas cuja radiografia é imoral. Mesmo assim ainda pretendem ser conselheiros! (Nilson Ericeira)

PENSAMENTO DO DIA: Quando olhamos ao nosso lado e percebemos que temos motivos muitos especiais para sermos felizes e de bem com a vida é suficiente para que nos abasteçamos somente de coisas boas. (Nilson Ericeira)

25/06/2017

O gato e o rato no reino da fantasia

* Da série: Fábulas de Nilson Ericeira
Nestes tempos gatos e ratos já quase não se  estranham mais, pois conseguem comer da mesma comida, dividir o bolo e até comer um o queijo do outro. Às vezes se tornam um indiferente do outro e até dorme no mesmo ninho. São cúmplices e sorrateiros. Gatos e ratos são criados a mamadeiras e recebem tratamentos especiais. Infelizes só os ratinhos que ainda são crias de laboratórios para serem cobaias. Nasceram para o sacrifício!
No reino da fantasia é de admirar, pois gatos e ratos sempre foram tidos como inimigos. Hoje quando se quer caçar ratos não se usa de gatos, mas de ratoeiras ou outras armadilhas. Sabidos os ratinhos descobrem as tramas de seus patrões. Na noite da armadilha, são avisados pelos gatos que o perigo é iminente.
Ratos e gatos hoje jogam pedras e escondem não só as unhas, mas as mãos inteiras. Lembram daquela brincadeirinha de quem tirou o ‘toicinho’ daqui? O gato comeu! Mas nos dias de hoje é bem complicado dizer se foi gato, o rato ou mesmo um político com fome. Bem que esses outros animais comem o bolo todo e o boi inteiro e ainda exportam para o exterior.
Os ratos modernos devoram as verbas públicas, particularizam o bem público, usurpam das atribuições públicas em benefício próprio e, ainda, quando pegos pela ratoeira, tem privilégio pelos crimes cometidos. E quando entregam outros ratos, têm diminuídas ou abrandadas para regimes bem mais cômodos.
Mas quem tirou o dinheiro daqui? Quem atirou o pau no gato?

PARA REFLELXÃO SE COUBER: Nascemos para ser bons e com o tempo o mundo no ensina não somente o que é bom e útil para a humanidade, mas precisamos ter cautela em nossos avanços, pois precisamos uns dos outros para vivermos em sociedade. (Nilson Ericeira)

PENSAMENTO DO DIA: Há sementes em nossas vidas que nascem em nossos corações e ocupam espaço em nosso ser para sempre. Por isso não há como negar a existência. (Nilson Ericeira)